“As instituições não estão sob o comando de suas conveniências”, dispara Bruno Farias

0
28

Assim como vários colegas de Parlamento, o vereador Bruno Farias (PPS) também se pronunciou, na sessão ordinária desta quinta-feira (17), para abordar os recentes desdobramentos em torno das investigações da Operação Lava Jato, que apura desvios de dinheiro público no País. O parlamentar defendeu, na tribuna da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), que é grave o conteúdo das ligações telefônicas entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidenta Dilma Rousseff (PT), divulgadas na tarde da última quarta-feira (16).

 

“Ouvi vários discursos dos defensores de Lula citando a Constituição Federal em seu favor e pedindo respeito à Carta Magna. Essa é uma velha estratégia de quem não tem coragem de travar o debate principal: não é a discussão sobre a forma, sobre o vazamento ou não das interceptações telefônicas, sobre a quebra ou não do sigilo; o debate que deve ser feito é sobre o conteúdo daquilo que foi revelado”, interpretou.

 

O parlamentar reconheceu a “biografia invejável” do nordestino retirante que fugiu da seca e se tornou um dos maiores líderes políticos do Brasil e do mundo. “O seu governo fez realmente muitos progressos, retirou milhões de famílias da linha de pobreza, mas, diante desse reconhecimento, não podemos fechar os olhos para as atrocidades cometidas”, afirmou.

 

Segundo Bruno Farias, as conversas divulgadas têm um teor “explosivo”, que demonstra que houve uma tentativa de obstruir o trabalho do Poder Judiciário brasileiro. “Um ex-presidente que se gaba de ter dado autonomia à Polícia Federal, ao Ministério Público e a outros órgãos, nessas gravações, achincalha todos os órgãos mais importantes do País, querendo que as instituições estejam sob o comando de suas conveniências. Não podemos concordar com isso”, reclamou.

Fonte: CMJP

Comentários