Ricardo Coutinho é “barrado” por maioria da direção estadual do PT

0
42

Ainda está na seara da ‘especulação’, mas a maioria das forças representativas no PT estadual resolveu se antecipar a possibilidade do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) se filiar ao partido e decidiu publicizar entendimento.

Em reunião, neste sábado (31), o grupo se posicionou contrário ao possível retorno do “ex-gestor’ ao partido.

Participaram da reunião os petistas que estão na base do governador João Azevêdo (Cidadania), atualmente, adversário político de Coutinho.

Entre eles, o deputado federal Frei Anastácio, o deputado estadual Anísio Maia e o prefeito de Picuí, Olivânio  Dantas.

Eles tomaram essa posição visando, principalmente, o fortalecimento da campanha de Lula na Paraíba, com as forças progressistas. Querem fazer isso com o governador, candidato à reeleição, que deve abrir palanque para o petista no estado.

Também foi ressaltado na reunião que o Partido dos Trabalhadores deve continuar se pautando em posições democráticas, construídas sem interferências autoritárias.

Foi definido também que, caso o assunto da filiação de Ricardo Coutinho ao PT seja pautado, oficialmente na instância partidária, as forças se posicionarão de forma unificada e contrária a filiação.

Estavam no encontro representantes das seguintes forças políticas: Coletivo Reviravolta, Articulação de Esquerda, Militância Socialista, Avante e PT pela Base.

Filiação 

Para alguns petistas, a filiação de Ricardo Coutinho (PSB) e do grupo que o apoia no PSB, como as deputadas estaduais Cida Ramos, Estela Bezerra e a ex-prefeita de Conde, Márcia Lucena, é questão de tempo. As filiações estão sendo “articuladas” pela direção nacional.

Integrantes do PT admitem que o partido na Paraíba e em João Pessoa está dividido. Uma parte aceita, sem problemas, o retorno de Coutinho à sua antiga “casa”. Outros vão criar todos os obstáculos possíveis para o plano não se concretizar.

Comentários