Sob forte comoção, corpo do menino Gael é enterrado no município da Prata

0
9

O corpo do menino Gael Nunes, de 3 anos, que morreu possivelmente vítima de espancamento, em São Paulo, foi enterrado na manhã desta quinta-feira (13), no município da Prata, no Cariri paraibano, onde vivem as famílias dos pais do garoto.

O enterro ocorreu por volta das 9h30 no cemitério Jardim Saudade, em Prata, após o corpo ser velado na casa de parentes do menino. Inicialmente, o velório ocorreria em um ginásio esportivo, mas por recomendação do Ministério Público foi transferido para um local reservado à família, para evitar aglomerações.

O cortejo até o cemitério reuniu centenas de pessoas e teve muita comoção.

Entenda o caso

Gael Nunes morreu na última segunda-feira (10) em um hospital de São Paulo. ele foi encontrado desacordado na companhia da mãe, Andréia Freitas de Oliveira, na cozinha do apartamento onde eles viviam, na região central de São Paulo. A suspeita é de que ela teria espancado a criança. O menino de três anos chegou a ser socorrido em um hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Andréia Freitas de Oliveira, que tem 37 anos, foi presa na madrugada da terça-feira (11). Ela foi indiciada por homicídio qualificado por meio cruel. O motivo do crime ainda é investigado.
No mesmo dia, ela foi transferida para a penitenciária feminina I de Tremembé, onde ficará isolada em uma cela por 15 dias, atendendo aos protocolos sanitários contra a Covid-19.

O advogado Fábio Gomes da Costa, responsável pela defesa de Andréia Freitas de Oliveira, disse ao G1 que ela não se lembra do que aconteceu na noite do crime e que, ao ficar sabendo da morte do filho, chorou por 40 minutos.

Ele disse ainda que Andréia não assume a autoria do crime. “Ela está muito abalada e não se lembra de nada”, declarou Costa.

O advogado informou que vai pedir a prisão domiciliar ou a transferência para um hospital psiquiátrico, além de um exame de insanidade mental.

Comentários