Vacinação contra COVID-19 em hospital particular de João Pessoa é suspensa após denúncias de fura filas; unidade nega

0
888

O Hospital Nossa Senhora das Neves, em João Pessoa, teria vacinado funcionários da área administrativa contra a covid-19, contrariando as orientações do Ministério da Saúde, que estabeleceu que os profissionais da saúde que atuam na linha de frente contra a doença devem ser os primeiros vacinados.

Nas redes sociais, há diversas fotos de funcionários do hospital com suas carteiras de vacinação. As legendas das fotos apontam que tratam-se de funcionários do setor financeiro, e não médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem como se esperaria.

De acordo com o secretário, há denúncias de que até um cantor de forró teria sido vacinado durante uma festa no local. ”É um escárnio com a população”, comentou. Fábio Rocha ressaltou que não sabe se todas as denúncias são verdadeiras, mas achou melhor suspender o processo de vacinação para apurar se houve irregularidade.

Nota

Leia a nota do HNSN na íntegra:

O HNSN vem através desta apresentar a verdade dos fatos quanto a imputação de que o hospital havia de alguma forma violado as regras de vacinação, o que não é verdade, senão vejamos:
Como é de conhecimento, cumpre ao governo federal através do PNI – Plano Nacional de Imunização fixar as regras relacionadas a vacinação.

Contudo, cumpre aos municípios, no presente caso, a Prefeitura Municipal de João Pessoa/PB, fixar o plano de operacionalização de vacinação contra a COVID-19.

Assim, de acordo com o plano estabelecido pela PMJP, serão considerados Trabalhadores de Saúde aqueles que: “atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância a saúde, sejam eles hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios e outros locais.

Desta maneira, compreende tanto os profissionais da saúde – médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontologistas, fonoaudiólogos, psicólogos, serviços sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares –, QUANTO AOS TRABALHADORES DE APOIO – recepcionistas, seguranças, pessoal da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias e OUTROS -, ou seja, aqueles que trabalham nos serviços de saúde, MAS QUE NÃO ESTÃO PRESTANDO SERVIÇOS DIRETO DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE DAS PESSOAS”

Assim, resta evidenciado que o plano de operacionalização de vacinação contra a COVID-19, utiliza instrumentos elementares da hermenêutica, notadamente a interpretação analógica, para fins de permitir que mesmo aqueles que não prestem serviços direto de assistência a saúde das pessoas possam ser vacinados, desde que estes profissionais atuem “em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância a saúde”, conforme estabelece a Prefeitura Municipal de João Pessoa/PB, o que ocorreu no presente caso, uma vez que, nossos colaboradores da área administrativa, dentre eles, aqueles veiculados na matéria jornalística, atuam em nosso ambiente hospitalar, portanto, estão compreendidos dentro das normas previstas pela PMJP.

Ademais, a disponibilização de vacinas para profissionais de categorias diversas que compõem o seguimento da saúde, também foi ofertada por outras instituições hospitalares omitidas na reportagem.

Por fim, ratificamos o nosso integral compromisso com obediência às normas legais e esperamos ter restabelecido a verdade dos fatos.

Qualquer dúvida, basta consultar o plano de operacionalização de vacinação contra a Covid-19 da PMJP.

A disposição para maiores esclarecimentos.

Hospital Nossa Senhora das Neves
HNSN

Comentários