Repórter da Rádio Tabajara morre vítima da COVID-19 no Hospital Metropolitano, em Santa Rita

0
529

O repórter da Rádio Tabajara, Gláucio Lima morreu neste sábado (19), aos 55 anos, em decorrência de complicações da Covid-19. Gláucio, que atuava na equipe de esportes da emissora, estava internado na UTI do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita, há duas semanas. Na Tabajara, ele trabalhava desde janeiro do ano 2000, estreando na cobertura da Copa São Paulo de Futebol Juniores. Era atuante nas reportagens de campo, sempre levando todos os detalhes das partidas aos ouvintes e interagindo com comentaristas e narradores nas principais partidas transmitidas pelas ondas da Rádio 105,5 FM e 1.110 AM. Gláucio também apresentou o programa Brega Show na emissora, dos anos 2008 a 2018.

Ainda na emissora, Gláucio era o responsável pela cobertura diária do Botafogo-PB para as resenhas esportivas, mas desde que chegou ao Escrete do Rádio, como é conhecida a equipe esportiva da Tabajara, também colaborava com a gerência de jornalismo. Participava ativamente nas transmissões da Romaria da Penha, assim também como na cobertura do desfile cívico de 7 de Setembro, além de outros eventos. Como sempre acontecia, a cada pleito eleitoral, recentemente, esteve no ar com flashes ao vivo ao longo do dia da eleição e na apuração paralela, trazendo as informações dos boletins de urnas nas eleições 2020 da Capital. Natural de João Pessoa, ele deixa esposa, três filhos e quatro netos.

Entre as manifestações públicas de pesar pela morte do radialista, hoje, está a do presidente da Associação Paraibana dos Cronistas Esportivos (APBCE), Elialdo Silva, que reforçou a forte representatividade de Gláucio dentro do universo esportivo. “A imprensa esportiva está de luto pela passagem de mais um de seus integrantes. Gláucio representava uma bandeira muito forte da categoria, já que era bastante atuante nas resenhas da Tabajara e nas transmissões das partidas. Desejamos conforto a toda família. Sua ausência será uma lacuna a ser preenchida no dial da tradicional Rádio Tabajara”, lamentou.

O governador João Azevêdo também registrou em suas redes sociais, os pêsames pela perda do repórter da Tabajara, enfatizando a paixão de Gláucio pelo futebol paraibano. “Lamento a morte do radialista e cronista esportivo, Gláucio Lima, repórter setorista do Botafogo Futebol Clube e da Rádio Tabajara. Apaixonado pelo que fazia e entusiasta do futebol paraibano, o “Olho Vivo”, como era conhecido, foi uma referência da crônica esportiva na Paraíba e muito conceituado na imprensa local. Aos familiares, amigos e colegas de profissão, minhas condolências”, finalizou.

Para o gerente do setor de esportes da Rádio Tabajara, Lima Souto, fica uma lacuna na equipe e nos trabalhos de campo que Gláucio fazia. O narrador esportivo contava sempre com a companhia do parceiro de transmissões em, praticamente, todas as coberturas da emissora. “Para mim, e para toda nossa equipe esportiva, Gláucio Lima foi e sempre será aquele cara alegre, brincalhão, muito divertido. É uma grande perda. Gláucio era sempre preciso com as informações. Tive a oportunidade de trabalhar com ele em outros prefixos e foi ele que me abriu as portas para o rádio esportivo aqui em João Pessoa”, contou.

Em nome da Rádio Tabajara e de todos os que fazem a emissora, integrante da Empresa Paraibana de Comunicação – EPC, a diretora de Rádio e TV, Albiege Fernandes reforçou o grande pesar por essa perda. “Gláucio Lima foi uma marca na Rádio Tabajara por 20 anos. Seus comentários esportivos ‘sacudiam’ a torcida botafoguense, sua alegria cativou seus companheiros de trabalho, e infelizmente, agora, sua voz calou. Nossa solidariedade à sua família e nossas homenagens ao companheiro Gláucio”, pontuou.

O Botafogo Futebol Clube da Paraíba emitiu uma nota de pesar pela morte do setorista do clube. Segue na íntegra: “É com extremo pesar que o Botafogo Futebol Clube vem a público lamentar, profundamente, o falecimento do radialista Gláucio Lima, neste sábado, em João Pessoa. Gláucio Lima foi, por muitos anos, há mais de uma década, setorista do Botafogo na Rádio Tabajara. Uma relação profissional que se tornou também de amizade. Era, pela voz de Glaúcio Lima, que a torcida do Belo se informava. A morte precoce do radialista, de 55 anos, vítima da Covid-19, deixa nossa torcida órfã e a todos os que fazem o clube, enlutados. Desejamos conforto aos parentes e amigos próximos. Descanse em paz, Gláucio”. Termina a nota.

A API – Associação Paraibana de Imprensa também emitiu nota lamentando a morte do repórter Gláucio Lima. “A Associação Paraibana de Imprensa através de sua diretoria e em nome de todos os associados se une a todos os colegas de imprensa para lamentar a morte do repórter Gláucio Lima, ocorrida neste sábado. Gláucio atuava desde o ano 2000 como repórter da Rádio Tabajara, onde cobria as atividades do Botafogo da Paraíba e se destacou pela seriedade com que tratava seu trabalho e as informações. A API deseja força e fé á família e aos amigos de Gláucio Lima”, diz a nota.

Comentários