Fuga no PB1: condenado a mais de 100 anos de prisão, mentor do estupro coletivo em Queimadas foge do presídio

0
1402

Condenado a 108 anos de prisão por ser considerado o mentor do estupro coletivo que resultou na morte de duas mulheres na cidade de Queimadas, em 2012, Eduardo dos Santos Pereira fugiu da Penitenciária de Segurança Máxima Doutor Romeu Gonçalves de Abrantes de João Pessoa, o PB1, na noite desta terça-feira (17).

Segundo o secretário executivo da Administração Penitenciária, João Paulo Barros, a fuga ocorreu entre 19h e 20h.

Eduardo conseguiu fugiu pela porta lateral que dá acesso ao almoxarifado da unidade penitenciária.

O delegado geral da Polícia Civil, Isaías Gualberto, disse ao G1 que um dos quatro policiais penais que faziam a segurança do setor foi autuado por facilitação culposa e, em seguida, liberado.

Quatro policiais penais faziam a segurança do setor. Todos foram ouvidos na noite de ontem na Central de Polícia.

Um inquérito será instaurado para investigar como a fuga ocorreu.

Caso Queimadas – O caso ocorreu em 12 de fevereiro de 2012, quando cinco mulheres foram estupradas e duas das vítimas morreram, a professora Isabela Pajuçara Frazão Monteiro, de 27 anos, e a recepcionista Michelle Domingues da Silva, de 29 anos, que foram assassinadas por terem reconhecido os agressores.

Seis homens envolvidos – Além de Eduardo Santos, Fernando de França Silva Júnior, Jacó Sousa, Luan Barbosa Cassimiro, José Jardel Sousa Araújo e Diego Rêgo Domingues – foram condenados pelos crimes de cárcere privado, formação de quadrilha e estupro. Eles cumprem penas entre 26 e 44 anos de prisão em regime fechado no presídio de Segurança Máxima PB1, em João Pessoa.

Três adolescentes também foram julgados e sentenciados a cumprir medidas socioeducativas no Lar do Garoto.

Comentários