Após antecipar feriados por causa da pandemia, Campina Grande terá 5 de agosto como dia comum

0
15

O município de Campina Grande terá um 5 de agosto como dia comum, já que antecipou o feriado para o dia 3 de junho, por causa da pandemia do novo coronavírus. Ainda na época de maior transmissão do vírus, algumas prefeituras resolveram adiantar feriados para diminuir os prejuízos das atividades paralisadas por tanto tempo, como foi o caso de Campina Grande, Monteiro e São Bento, que são alguns dos municípios que anteciparam pelo menos três feriados.

Campina antecipou os feriados de 11 de junho (Corpus Christi), 24 de junho (São João) e de 5 de agosto (aniversário de fundação da Paraíba) para 1º, 2 e 3 de junho, conforme decreto municipal, como medida de intensificação do isolamento social contra a Covid-19.

A assessoria de imprensa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Campina Grande (CDL-CG) informou, nesta terça-feira (4) ao ClickPB, que o Sindilojas celebrou aditivo à Convenção Coletiva garantindo a possibilidade de abertura do comércio, bem como, regulando as obrigações do lojista para o dia 3 de junho passado.

“Deste modo, para todos os efeitos, o dia 05/08 não será feriado para o comércio da cidade, não havendo obrigação de concessão de folga ou pagamento de abono, considerando que essas obrigações já foram cumpridas conforme antecipação realizada em nossa cidade”, explicou a CDL-CG.

Em Patos não houve antecipação das comemorações de 5 de agosto e o município terá feriado.

Já em João Pessoa, haverá feriado. Mas o comércio pode abrir. A CDL João Pessoa lembra que “a empresa precisa observar a convenção coletiva e pagar R$ 57 pelo dia trabalhado e dar uma folga aos funcionários.

Vale lembrar que o diretor da CDL João Pessoa, Josuel Gomes, já havia conversado com o ClickPB sobre a expectativa dos empresários em aumentar as vendas com a chegada do Dia dos Pais. A CDL conseguiu com a Prefeitura de João Pessoa a liberação dos ônibus no feriado para que as pessoas possam aproveitar o 5 de agosto para comprar o presente e evitar deixar para última hora e se aglomerar perto da data comemorativa.

No dia 31 de julho, o diretor da Câmara dos Dirigentes Lojistas da Capital disse ao ClickPB que “existe uma expectativa muito grande para esse momento. Primeiro porque não tivemos Dia das Mães, nem São João. E agora vamos ter o Dia dos Pais. Quando eu falo que não tivemos é no sentido de que em maio estava aquele terror todo, no mês de junho também, e agora em julho e em agosto a população já não aguentava mais a quarentena. Então, com isso, está todo mundo saindo.”

Ainda segundo Josuel Gomes, “o presente dos pais tem quase uma conotação de liberdade para os filhos nesse momento agora. Na época do presente das mães, a pessoa queria ver apenas que a mãe estava bem. Agora que sabe que está bem, quer presentear, comprar (para os pais). Então a expectativa é de que haverá um comércio bastante aquecido.”

Comentários