Fechada após mortes de bebês, maternidade do HU de João Pessoa deve reabrir nesta quinta-feira

0
21

O Ministério Público da Paraíba (MPPB), Federal (MPF) e do Trabalho (MPT) acatou a proposta do Hospital Universitário Lauro Wanderley para a retomada dos atendimentos a novas gestantes na unidade, que estavam suspensos depois de identificados casos de contaminação por coronavírus em recém-nascidos, causando a morte de dois deles. A unidade está passando por desinfecção total e a reabertura dos serviços de obstetrícia e neonatologia está prevista para, no máximo, até esta quinta-feira (6).

A situação das maternidades da capital foi discutida em audiência por videoconferência realizada na tarde dessa segunda-feira (3), com a participação de membros do MP paraibano e de gestores do HU, das secretarias de Saúde do Município (SMS-JP) e do Estado (SES) e de outros hospitais da capital.

Situação na maternidade do HU

O diretor do HU, Moisés Diogo de Lima, informou que, após receber o resultado dos exames de outros recém-nascidos, transferiu alguns para a Maternidade Frei Damião, de modo que apenas uma criança com sorologia positiva para covid permanecia na unidade neonatal do HU, mas que seria transferida esta semana para desinfecção do local. As crianças com resultado negativo foram separadas em unidade específica. O primeiro caso positivo de covid-19 na maternidade do HU ocorreu no dia 24 de junho. Até o dia 31 de julho, foram registrados 12 casos de recém-nascidos com sorologia positiva para a doença.

De acordo com o diretor, o HULW vinha conseguindo transferir esses pacientes para a maternidade de referência, seguindo o fluxo pré-estabelecido, mas, na última semana, haviam sete casos positivados de recém-nascidos, além de outros quatro casos positivos de mulheres acompanhantes e o HU teve dificuldade em conseguir a transferência desses pacientes. Por isso, houve a suspensão de novos atendimentos.

Ainda de acordo com a direção da unidade, oito mulheres estavam internadas, seja em acompanhamento de recém-nascidos ou fazendo tratamento clínico na maternidade, separadas em uma única ala, e a testagem dos profissionais e das pacientes está sendo feito, independente da sintomatologia. Moisés também lembrou que a maternidade de referência para tratamento de pacientes com covid, em João Pessoa, é a Frei Damião.

Leitos na Frei Damião e Cândida Vargas

O secretário estadual da Saúde, Geraldo Medeiros, disse que a Maternidade Frei Damião possui 10 leitos, sendo quatro para covid e que eles foram quase todos preenchidos quando recebida a demanda do HULW. Segundo o gestor, a atitude do HU de suspender os atendimentos preocupa, mesmo que seja uma medida temporária e que deveria haver um planejamento de curto prazo para retorno dos atendimentos, uma vez que a pandemia não tem previsibilidade para arrefecer.

Ele considerou razoável o prazo para a reabertura dos serviços, mas que deveria haver um esforço para que isso ocorresse antes de quinta-feira, pois a Frei Damião está funcionamento com a capacidade máxima. O secretário informou, ainda, que os sete leitos de UTI neonatal da Unidade I da maternidade foram transformados em 10 leitos na Unidade II (Hospital Santa Paula) e que, com o fechamento do Hospital Solidário, a Unidade II passará a contar com um terceiro andar, com 41 leitos para atendimento de gestantes e puérperas com covid.

Já o secretário municipal de Saúde, Adalberto Fulgêncio, disse que a retaguarda de leitos dos pacientes do HU deve ser providenciada pela SES; que já foram registrados casos de pacientes contaminados na Maternidade Cândida Vargas, mas o serviço permaneceu em funcionamento e que todas as decisões pela transição de ‘leito covid’ para leito comum, neste momento, devem ser dialogadas com os gestores dos outros entes federativos, para que o trabalho seja sincronizado.

Segundo o secretário, é preciso saber como o ritmo de contaminação se comportará após a reabertura dos bares e restaurantes e sugeriu reuniões semanais com os gestores da área para que sejam discutidas questões como o fechamento de leitos, infecção hospitalar, disponibilização de EPIs, entre outros relacionados ao funcionamento dos serviços de saúde durante a pandemia.

Ficou deliberado ainda que os secretários e o diretor do HU se reunirão segunda-feira (10), às 10h, na sede da SES-PB, com o objetivo de realinhar as políticas públicas de assistência às parturientes, puérperas e aos neonatos, comunicando ao MPPB e ao MPF, logo em seguida, o resultado das tratativas.

Comentários