Mesmo focado nas medidas contra a covid-19, Aguinaldo não descarta debates virtuais sobre a reforma Tributária

0
18

O líder da maioria na Câmara, deputado federal Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) revelou durante entrevista à Record News nessa segunda-feira (15) que apesar de defender a retomada da discussão sobre a reforma Tributária, mesmo que seja de forma virtual, tem como foco principal assim como todo o Parlamento, o trabalho na busca de minimizar os efeitos da pandemia da covid-19 no Brasil.

Aguinaldo ressaltou que enquanto ser humano, cidadão e representante do povo, tem colocado seus esforços na apreciação e votação de medidas que buscam dar um auxílio aos estados e municípios e aos brasileiros de forma geral, buscando respostas eficazes, tanto na questão sanitária quanto na econômica.

O parlamentar ainda argumentou que é fundamental, neste momento, haver união e responsabilidade de todas as instituições da República e da sociedade civil.

“Nosso foco, preocupação e comoção é com as milhares de mortes que estão ocorrendo por conta da pandemia. Temos que unir esforços, as instituições em conjunto com a sociedade civil, para enfrentarmos esse momento de tanta dificuldade no nosso país e aí podermos voltar ao tema da reforma Tributária de forma mais efetiva que é isso o que a gente deseja assim que voltarmos à normalidade” declarou.

Aguinaldo também reforçou que a urgência instaurada no país por conta da pandemia prejudicou o cronograma da reforma Tributária, cujo debate já estava avançado no Congresso, mas defendeu a pausa que foi dada para atender às questões referentes à saúde e economia, declarando que caso haja a possibilidade, no momento certo, a reforma tributária voltará a ser debatida, mesmo que de forma virtual para que retomadas as atividades presenciais, o parlamento possa recuperar o calendário.

“Se fez necessário, de forma óbvia suspender a discussão da reforma Tributária. Todo mundo sabe que nós vamos ter um impacto muito maior no ambiente fiscal do que já tínhamos anteriormente por conta do gasto necessário que o governo está fazendo para minimizar os efeitos da pandemia, mas a partir de agora em que já votamos diversas medidas inclusive o auxílio emergencial, as medidas para as empresas, as outras medidas de saúde, eu estou defendendo que nós possamos voltar, ainda que de maneira virtual, os debates sobre a reforma tributária para que quando retornarmos às sessões presenciais já possamos ter esse processo bem avançado e quem sabe já maduro para recuperarmos aquele calendário que infelizmente foi interrompido em função da pandemia” concluiu.

Comentários