Prefeitura de João Pessoa anuncia que comércio, shoppings e praia continuarão fechados e cidade continua sem ônibus

0
9240

Depois de montar uma ampla rede de proteção à vida no combate à pandemia do novo coronavírus, o que incluiu a disponibilização de 268 leitos e um hospital exclusivo para a covid-19, contratação de 471 profissionais da área da saúde, e medidas de isolamento social que permitiram salvar seis vezes mais vidas, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) dá início ao plano estratégico de flexibilização. Respeitando as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e seguindo critérios estabelecidos para a avaliação de risco, a Capital adotará quatro etapas graduais de flexibilização para a retomada das atividades, a depender de avaliações contínuas. Na manhã deste sábado (13), o prefeito Luciano Cartaxo apresentou o Plano Estratégico de Flexibilização e garantiu que a primeira fase já tem início nesta segunda-feira (15).

Durante o anúncio, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, informou que o isolamento social rígido, com pontos de fiscalização, será encerrado neste domingo (14). A recomendação para que as pessoas continuem em casa e só saiam em caso de necessidade, permanece. A Prefeitura de João Pessoa justificou a decisão de flexibilizar a partir de indicadores de saúde, como a queda na taxa de transmissão de casos, redução na ocupação de leitos de UTI, diminuição na pressão hospitalar nas UPAs e redução no número de mortes provocadas pela doença. “Não podemos baixar a guarda, nem relaxar na atenção. Não podemos abrir mão da ciência, da pesquisa, da experiência de outros países. É uma luta onde queremos que todos ganhem, porque só há um inimigo: o novo coronavírus. As batalhas acontecem todos os dias e a guerra não terminou. Vamos dar mais um passo. São muitas frentes, prevenção, cuidados, proteção social aos mais vulneráveis e a flexibilização que vamos iniciar agora”, disse o prefeito.

A flexibilização será adotada levando em conta regras de ouro, válidas para todos os segmentos, como as medidas de distanciamento social, ou seja, 1,5m de distância entre funcionários e clientes, priorização do trabalho remoto para colaboradores de grupos de risco e demarcação de espaços nas filas; medidas de higiene, como espaço adequado para disponibilização de álcool 70% e uso obrigatório de máscaras; e medidas de identificação ativa, o que significa a informação à Secretaria de Saúde sempre que houver sintomas, afastamento dos funcionários com suspeita por até 14 dias e dar preferência pelo trabalho remoto sempre que for possível. Além disso, cada setor deverá seguir protocolos setoriais formulados com representantes das áreas específicas.

O prefeito Luciano Cartaxo criou uma Comissão de Estudos para a Flexibilização e coordenou os trabalhos de construção do Plano Estratégico tendo como parâmetros a garantia da manutenção da perspectiva de queda nos novos casos da doença e de diminuição contínua da ocupação de leitos hospitalares. Participaram das reuniões diversas secretarias municipais e representantes do setor produtivo da Capital, com base em critérios sanitários, sociais e econômicos. “Nosso plano é flexível, apresentando datas para as duas primeiras etapas e, posteriormente, tudo vai depender do que alcançarmos neste período. Vamos ampliar a flexibilização de forma segura e, se não respeitarmos as regras e protocolos definidos, podemos retroceder em alguma etapa, levando em consideração nossa prioridade número um, que é a vida”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

*Etapas da Flexibilização* – O primeiro momento de flexibilização, a ser iniciado nesta segunda (15), prevê o fim do isolamento social rígido, com retirada dos pontos de fiscalização, e permite o funcionamento integral dos serviços essenciais. O comércio atacadista, fundamental no abastecimento de outros setores, segue aberto. Construção civil, concessionárias, revendas de veículos e locadoras, além de empresas de assistência técnica, poderão funcionar, seguindo as regras de prevenção. No sistema de delivery e drive thru poderão atuar as lojas de material de construção, serviços de alimentação, óticas e estabelecimentos de varejo. Salões de beleza podem receber um cliente por vez, sempre a partir de agendamento, sem filas. Igrejas podem ser reabertas com apenas 30% dos fiéis.

Como medidas preventivas e forma de preservar o isolamento social, o transporte público seguirá temporariamente suspenso, assim como escritórios de profissionais liberais, serviços públicos não essenciais e a circulação em praias, parques e praças. Feiras livres, comércio ambulante, academias de ginástica, museus, teatros e cinemas, além de atividades presenciais de educação, também seguem fechados. As etapas 2, 3 e 4 serão implementadas com base nos indicadores de saúde, até que a Capital complete o retorno integral à nova normalidade. As medidas serão anunciadas com base em critérios técnicos, sempre a partir da avaliação permanente dos riscos que cada retorno gradual poderá representar.

Comentários