Juiz José Ferreira Júnior é empossado como membro titular do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba

0
23

O juiz José Ferreira Ramos Júnior será empossado como membro titular do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), na categoria Juiz de Direito, nesta segunda-feira (08). Em razão das medidas de distanciamento social, adotadas com a pandemia provocada pelo novo coronavírus – Covid-19, o evento será realizado, de forma inédita, por videoconferência.

A solenidade será transmitida, às 14h, ao vivo pelo canal do TRE/PB no YouTube, em: www.youtube.com/c/TREPBoficial.

O desembargador Joás de Brito Pereira Filho fará a saudação ao novo membro do TRE-PB, em nome da Corte Eleitoral. Caberá a Rodolfo Alves Silva, procurador Regional Eleitoral, saudar o empossado em nome do Ministério Público Federal Eleitoral. O advogado Diego Nunes Medeiros Ferreira Ramos, filho do magistrado, falará em nome da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Paraíba.

Na sessão administrativa do dia 13 de maio, atendendo ao ofício encaminhado pelo presidente do TRE-PB, desembargador José Ricardo Porto, à Presidência do Poder Judiciário estadual, o Pleno do TJPB escolheu, por 13 votos, o juiz José Ferreira Ramos Júnior para compor a Corte Eleitoral. A indicação do magistrado, que atua na 2ª Turma Recursal da Comarca da Capital, aconteceu em decorrência do fim do segundo biênio do juiz Antônio Carneiro de Paiva Júnior.

Perfil 

Ferreira Júnior foi oficial do Exército brasileiro por 10 anos. Desde 1992 é Juiz de Direito. Exerceu jurisdição nas unidades de Serraria, Conceição, Pombal, Areia, Campina Grande e, na Capital, atuou na Vara de Conflitos Agrários, 6ª Vara de Família e 10ª Vara Cível.

Na Justiça Eleitoral foi juiz nas Comarcas de Serraria, Conceição, Pombal, Bonito de Santa Fé, Areia, Campina Grande e, mais recentemente, juiz da 1ª Zona Eleitoral da Capital, tendo atuado como juiz da propaganda eleitoral nas Eleições Municipais de 2016. Ainda foi juiz membro Substituto do TRE em 2006.

Em 2007 e 2008, exerceu o cargo de juiz auxiliar da Corregedoria Nacional de Justiça do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Nos dois anos seguintes, foi juiz auxiliar da Presidência e da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça.

Comentários