Presidente da Federação Paraibana de Futebol nega renúncia

0
84

Na última semana, uma bomba agitou os bastidores do futebol da Paraíba. A possibilidade de renúncia de Amadeu Rodrigues do cargo de presidente da Federação Paraibana de Futebol foi levantada, após supostos desentendimentos entre o dirigente e a ex-mandatária da FPF, Rosilene Gomes.

O que começou como boato ganhou força após uma entrevista concedida pelo vice-presidente da entidade, Nosman Barreiro Paulo. No depoimento, Nosman confirmou que Amadeu estava pensando em renunciar ao cargo.

Em silêncio desde então, o atual presidente da FPF se pronunciou por meio de uma rede social na última sexta-feira (8), e disse estar refletindo sobre seu futuro à frente da FPF.

Na tarde desta segunda-feira (11), no entanto, Amadeu Rodrigues pôs fim a boataria e descartou a possibilidade de renúncia. Ele aproveitou ainda para pregar a união entre os dirigentes da FPFão e dos clubes de futebol da Paraíba.

O mandatário da Federação Paraibana de Futebol explicou que, após o fim do recesso da entidade, passou dois dias em casa com a família refletindo sobre o que havia acontecido na assembleia realizada no dia 23 de dezembro.

Na ocasião, a maior parte dos clubes amadores e o Santa Cruz-PB votaram pelo encerramento da sessão sem que as mudanças estatutárias propostas pelo presidente fossem apresentadas.

“Tudo começou quando a gente estava trabalhando em cima do estatuto e a gente sofreu aquela derrota. Então, isso me deixou muito triste. Como todo mundo sabe, eu passei dois dias em casa conversando muito com a minha família sobre os acontecimentos”, explicou Amadeu.

“Mas eu estava trabalhando, estava conversando com os clubes e chegamos ao acordo de que isso (mudança estatutária) vai ter que existir, isso é uma coisa que a gente não pode fugir”, acrescentou o dirigente da FPF.

De acordo com Amadeu, a possibilidade de deixar a presidência da Federação nunca foi externada a ninguém. Ele classificou as entrevistas de seu vice como resultado de um grande mal entendido, e garante que nada muda na sua relação com Nosman.

“Tive uma conversa para tratar de assuntos administrativos com o Nosman e falei de como estava chateado com o que tinha acontecido. Talvez, ele tenha entendido de outra forma, mas com o Nosman é tranquilo. Hoje mesmo a gente conversou no escritório dele sem problema algum”, contou Amadeu.

“A roupa suja já foi lavada; não adianta essas picuinhas. O futebol já é difícil de fazer, então se você ficar com essas picuinhas e coisas pequenas… Desse jeito nós não chegamos a lugar nenhum”, acrescentou o presidente.

Amadeu afirmou ainda que outro edital de convocação deve ser lançado em breve para que uma nova assembleia seja realizada. A mudança, de acordo com ele, é necessária e acontecerá de qualquer forma.

“Existem alguns pontos do estatuto da Federação que vão ter que mudar. E quem diz isso não sou eu, é a lei 13.155, a lei do Profut”, finalizou Amadeu. As informações são do blog Voz da Torcida.

Paraíba Já

Comentários