João Pessoa confirma 24 mortes por Covid-19 após investigação de casos suspeitos

0
29

João Pessoa confirmou mais 24 mortes em decorrência da Covid-19 após conclusão de investigação epidemiológica de 74 casos que estavam sob suspeita. De acordo com balanço divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) nesta segunda-feira (25), nos últimos 60 dias, 74 casos passaram por apuração depois da análise detalhada de declarações de óbito encaminhadas por 29 hospitais públicos e privados com suspeita de coronavírus.

Além das 24 mortes confirmadas, a SMS descartou 33 mortes, e outras 21 seguem em investigação. O monitoramento epidemiológico integra o protocolo nacional e internacional de validação de óbitos da doença, cumprindo com o que prevê a Organização Mundial de Saúde (OMS).

A investigação dos casos suspeitos é feito com base em uma ampla apuração, que inclui a revisão de prontuários médicos e exames realizados pelo paciente, entrevistas e testes com familiares, além de análise laboratorial comprobatória. O secretário da SMS, Adalberto Fulgêncio tranquilizou a população explicando que um possível salto no número de mortes nos dados oficiais pode acontecer por conta do resultado dessa investigação.

“O número de óbitos vai aumentar em função dessa revisão de casos, que inclui os falecimentos por Covid-19 sob investigação. É importante ressaltar que as mortes não aconteceram no mesmo momento. Elas refletem um apanhado mais abrangente, de um período de até 60 dias”, ponderou o secretário Adalberto Fulgêncio.

João Pessoa tem hoje 71 óbitos por Covid-19 registrados. Com os 20 casos confirmados, após a análise conclusiva, a cidade passa a ter 91 mortos pela doença causada pelo coronavírus. Ainda de acordo com Adalberto Fulgêncio, por conta da subnotificação também de casos de morte, a Prefeitura de João Pessoa vai incluir no painel Covid-19 as mortes suspeitas, para ajudar na transparência dos dados, a partir da terça-feira (26).

“A evidência de subnotificações em todo o mundo exigiu que aprofundássemos os métodos de estudo, tornando todos os indicadores mais próximos da realidade. Seguimos corrigindo distorções e ampliando as etapas de verificação, dando maior celeridade às investigações empreendidas pela vigilância epidemiológica”, afirmou.

Comentários