Corpo do primeiro paciente que morreu de coronavírus na PB é enterrado com caixão lacrado e sem velório

0
1441

O corpo primeiro paciente paraibano que morreu de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, foi enterrado na manhã desta quarta-feira (1º). O enterro aconteceu no cemitério Monte Castelo, em Patos, município do Sertão da Paraíba, onde ele morava. Não houve velório e o caixão precisou ser lacrado pela funerária para evitar novas infecções.

Poucas pessoas participaram da despedida. Algumas delas participaram do cortejo fúnebre, mas foram orientadas por equipes da Vigilância Sanitária do município a voltarem para casa. Parte delas ficou fora do cemitério, seguindo as orientações dos órgãos de saúde para evitar possíveis novos contágios pelo novo coronavírus.

O paciente que morreu foi um homem, de 36 anos, que morava em Patos, no Sertão do estado, e estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Clementino Fraga, em João Pessoa, desde o dia 26, após transferência hospitalar. Ele teve o diagnóstico confirmado na tarde da segunda-feira (30) e tinha histórico de diabetes.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, no dia 25 de março, o homem apresentou tosse seca com presença de sangue e febre, sendo atendido no Hospital São Francisco, em Patos, onde ficou internado até o dia 26. Foi transferido para o Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW) e depois para o Hospital Clementino Fraga, com suspeita de Covid-19.

Ainda conforme boletim médico, o estado dele era considerado grave, precisando de suporte ventilatório. Em seguida, o paciente teve piora do quadro clínico e morreu na tarde do dia 31.

Pelo menos onze pessoas que tiveram contato com o primeiro paciente que morreu por Covid-19, na Paraíba, estão sendo monitoradas pelos órgãos de saúde de Patos, município do Sertão paraibano, onde ele morava. A informação foi confirmada pelo diretor-geral da Vigilância Sanitária municipal, João Paulo de Lacerda, em uma entrevista coletiva, nesta terça-feira (31).

Equipes de saúde estão entrando em contato e orientando, por telefone, as pessoas que tiveram contato com o paciente. Perguntas são feitas para identificar se elas apresentam sintomas de contaminação e recebam atendimento médico.

Conforme a Vigilância Sanitária, outro homem que também é de Patos, está internado em João Pessoa com suspeita de infecção pelo novo coronavírus. Ele teria feito uma festa com amigos, após chegar de uma viagem. Uma das pessoas que estava na comemoração era o homem de 36 anos que morreu.

Os velórios das pessoas mortas por coronavírus (Covid-19) estão suspensos em João Pessoa, como uma medida preventiva ao contágio da doença. Além disso, o sepultamento deve ser feito de forma imediata. As recomendações são do Ministério da Saúde (MS) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Nos cemitérios públicos municipais, os enterros devem ser realizados das 9h às 16h e não haverá mais velórios nestes locais. Nos casos sem evidência de morte em decorrência da Covid-19, só serão permitidos sepultamentos e velórios em espaços privados com até 10 pessoas, respeitando a distância mínima de, pelo menos, 2 metros. O tempo máximo previsto de duração do velório será de quatro horas.

De forma excepcional, recomenda-se ainda que seja evitada a presença de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, além de gestantes, lactantes e pacientes com doenças crônicas ou respiratórias, nos velórios e enterros. O documento oficial também recomenda a higienização das mãos ao entrar no cemitério, e pede que sejam evitados contatos físicos, como beijos, abraços ou apertos de mão. Caberá ao serviço funerário, seja público ou privado, ofertar água, sabão, papel toalha e álcool em gel a 70% para a devida higienização. A disponibilização de alimentos não será permitida.

G1PB

Comentários