Delator da Calvário, Ivan Burity, passa mal, desmaia e tem AVC durante caminhada

0
126

O procurador do Estado, Ivan Burity, de 58 anos, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico. Foi esta a causa do desmaio sofrido por ele durante uma caminhada no Altiplano Cabo Branco por volta das 8h50 de hoje. Ele foi socorrido por populares e um médico que passava no local levou Ivan para o Hospital Memorial São Francisco, onde ele está hospitalizado e acompanhado pelo filho. A instituição não forneceu informações sobre o estado de saúde do paciente e disse que aguardava autorização da família para isso.

O neurocirurgião George Mendes é quem acompanha o caso de Ivan Burity.

O ex-secretário executivo de Turismo da Paraíba havia sido preso no dia 9 de outubro, na quinta fase da Operação Calvário, que cumpriu naquele mesmo dia 14 mandados judiciais na Paraíba. Ele ficou na Penitenciária de Segurança Média de Mangabeira até o dia 11 de dezembro depois de um alvará de soltura assinado pelo desembargador Ricardo Vital. Ivan se tornou colaborador do processo, ou delator, como ficaram mais conhecidos os investigados que celebraram acordos com o Ministério Público Estadual e Justiça para prestar informações que pudessem ajudar a desbaratar o esquema de desvio de verbas públicas investigado no Governo da Paraíba.

AVC isquêmico – De acordo com a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira, o Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI), também conhecido por derrame ou isquemia cerebral, é causado pela falta de sangue em uma área do cérebro por conta da obstrução de uma artéria. Ele pode deixar sequelas que podem ser leves e passageiras ou graves e incapacitantes. As mais frequentes são paralisias em partes do corpo e problemas de visão, memória e fala.

Os fatores de risco para o AVC podem ser considerados modificáveis (controlados com mudanças no estilo de vida ou medicamentos) ou não modificáveis.

O tabagismo, altas taxas de colesterol e triglicérides, sedentarismo e doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial e arritmias cardíacas são os principais fatores de risco. Pessoas com pressão alta têm quatro a seis vezes mais chances de terem um episódio de AVC. Isso acontece por conta do enrijecimento dos vasos e aterosclerose, comuns em hipertensos, que pode levar à obstrução arterial. Os pacientes diabéticos também devem controlar as taxas de glicemia capilar e outros fatores de risco, pois o risco de isquemia é duas vezes maior se comparado ao de pessoas não diabéticas.

Comentários