Mais dois casos suspeitos de coronavírus são investigados na Paraíba

0
625

Mais dois casos suspeitos de coronavírus foram notificados na Paraíba, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde. A notificação aconteceu na última sexta-feira (28). Trata-se de um homem de 43 anos e uma mulher de 31 anos, os dois com histórico de viagem à França, com início dos sintomas seis dias após a chegada ao Brasil. Com esses, chegam a três os casos investigados na Paraíba, sendo que o primeiro já foi descartado.

De acordo com a Secretaria, os dois novos casos já foram notificados ao Ministério da Saúde. Porém, casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde, o que ainda não ocorreu.

O primeiro caso suspeito de coronavírus que foi investigado na Paraíba foi descartado na sexta-feira (28). O exame confirmou que o paciente de 59 anos tem um problema respiratório comum. De acordo com Geraldo Medeiros, secretário de estado da saúde, o homem agora deve concluir a antibioticoterapia em casa, tendo em vista que normalizou todos os parâmetros.

O casal que chegou da França buscou atendimento médico por conta própria em um hospital privado de João Pessoa. Em seguida, a Vigilância Municipal de João Pessoa foi informada e realizou a coleta para realização dos exames.

Após avaliação médica, o casal foi orientado a ficar em isolamento domiciliar por não apresentar sinais clínicos que necessitassem hospitalização. Ambos seguem monitorados pela Vigilância Municipal de João Pessoa e aguardam os resultados laboratoriais que foram encaminhados no sábado (29) ao Laboratório Central (Lacen). Segundo Geraldo Medeiro, os resultados devem ser liberados na quarta-feira (4).

Primeiro caso suspeito descartado

O paciente de 59 anos esteve no Norte da Itália entre os dias 14 e 23 de fevereiro, e chegou no Brasil no dia 24 de fevereiro, em um voo internacional com destino a Recife. Ao retornar a João Pessoa, apresentou sintomas de resfriado e no dia 25 do mesmo mês foi internado no Clementino Fraga para que fosse investigado se havia presença do novo coronavírus. Ele recebeu alta na noite do último domingo (1º).

Por conta da suspeita, a família do paciente também ficou em quarentena por 14 dias. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, a medida foi necessária para evitar uma possível contaminação de outras pessoas e para quebrar a cadeia de transmissão

O Complexo de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga, onde o paciente estava internado, é uma unidade preparada para atender casos suspeitos de coronavírus, conforme plano estadual para notificação e assistência divulgado pela SES em janeiro. Qualquer caso que se encaixe no perfil deve ser transferido para o hospital.

Além do Clementino Fraga, o Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), também em João Pessoa, está apto para atender casos suspeitos exclusivamente em pacientes da pediatria. Em Campina Grande, o hospital de referência é o Hospital Municipal Pedro I.

Com G1

Comentários