Paraibana morre em parto prematuro, no RJ, após ser espancada pelo marido

0
6343

Uma paraibana grávida morreu nesta terça-feira (5) durante o parto de emergência após ser espancada pelo marido em Barra Mansa, no Sul do Rio de Janeiro. Maria Edjane de Lima, 35 anos, deu entrada na tarde de segunda-feira (4) no Hospital da Mulher com sangramento vaginal e sinais de agressão, informando que foi chutada, inclusive na barriga, pelo companheiro, de 45. Como o sangramento não cessou e ela apresentou descolamento de placenta, foi levada para o Centro Obstétrico para fazer a cirurgia de emergência, onde não resistiu e vei a óbito.

Por volta de 17h40, o bebê, que é uma menina, nasceu de 27 semanas, menos de sete meses de gestação. Ele está internado na UTI Neonatal da unidade médica.

Durante o parto de emergência, a mulher apresentou problemas respiratórios, e foram realizados diversos procedimentos médicos para tentar reanimá-la, e também para conter a hemorragia, mas ela não resistiu e morreu a 01h30. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Volta Redonda, que vai apurar a causa da morte, e para confirmar também se houve relação do óbito com o fato dela ter sofrido agressão.

A PM informou que o agressor apareceu exaltado no hospital, exigindo os documentos da mulher. E vizinhos relataram que ele já havia sido agressivo outras vezes. Encaminhado à 90ª Delegacia de Polícia (Barra Mansa), o homem foi liberado após ser ouvido.

O laudo vai apurar se a causa da morte está relacionada ao espancamento.

Ainda segundo a prefeitura de Barra Mansa, Maria era de João Pessoa, na Paraíba, e conheceu o marido através das redes sociais. Ela veio para o município Sul Fluminense, onde engravidou. Uma amiga teria dito que ela não fez exames de pré-natal durante a gestação.

Comentários