Página que pede a morte de Lula não será excluída pelo Facebook

0
65

O Facebook se recusou a retirar página da rede social que pede pela morte do ex-presidente Lula. Como uma espécie de fórum, a página é um grupo aberto de discussão, que, de acordo com a própria descrição, “visa enterrar essa figura que acabou com a vida de milhares de brasileiros”.

O conteúdo da página – que até esta terça-feira (11) tinha pouco mais de 5 mil membros – inclui ofensas e mensagens de ódio contra o ex-presidente Lula, a presidente Dilma Rousseff e ao PT.

Uma publicação na fan page do ex-presidente petista, de 7 de agosto, afirma que a comunidade “ameaça a vida de Lula” e faz apelo aos seguidores que denunciem a página. Ainda de acordo com o post, o pedido foi feito antes do ataque a bomba, em 30 de julho, na sede do Instituto Lula, em São Paulo. No entanto, a rede social se nega a retirar a página do ar, alegando que o grupo não oferece “ameaça real” ao ex-presidente.

Leia a íntegra da nota do Instituto Lula:

Facebook se recusa a remover comunidade que ameaça a vida de Lula

Desde o dia 14 de julho o Instituto Lula pede ao Facebook que retire do ar a comunidade “MORTE AO LULA”, criada e hospedada na rede social.

Acreditamos que ela claramente viola as regras de conduta do site, porque ameaça a integridade física do ex-presidente e incentiva a violência.

Esse pedido foi feito antes do ataque da semana passada. Mesmo depois da bomba, no dia 30 de julho, o Facebook continua a não considerar como “ameaça real” uma comunidade que abertamente pede a morte de uma pessoa.

Por isso viemos, por meio do próprio Facebook, criticar a atitude da empresa e pedir aos usuários que repudiem essa comunidade que promove o ódio. Denuncie essa página.

informações de Congresso em Foco

Comentários