Filho de Campos discursa na Alepe e critica momento político do Brasil

0
40

A sessão solene em homenagem a Eduardo Campos nessa terça-feira (11) na Assembleia Legislativa contou com quatro discursos e o mais emblemático deles foi o de Pedro, 19 anos, terceiro dos cinco filhos do ex-governador. Após o evento, ele explicou o conteúdo crítico do discurso. “Todo mundo sabe que estamos passando por uma crise e ninguém vai vencê-la se com um querendo puxar o tapete do outro. Essa crise só será vencida com união e ânimo Se meu pai estivesse aqui, essa é a mensagem que ele iria passar. Estaria tentando mudar essa situação com a capacidade de dialogar, de juntar as pessoas”, falou.

Ao lado dos irmãos Maria Eduarda, João e José, Pedro levou cerca de cinco minutos para ler a mensagem, elaborada em conjunto por toda a família. Em nenhum momento, ele se referiu a Eduardo como pai e o chamou pelo nome. “Eduardo mobilizaria a sua energia para tentar unificar o Brasil pelo compromisso de com o futuro dos brasileiros penalizados pelas consequências de uma crise que não provocaram. Mais do que nunca é urgente reunir o Brasil em torno de uma agenda consensual que assegure aos pernambucanos e brasileiros a superação dos impasses que ameaçam o nosso desenvolvimento econômico, social e político”, declarou.

Pedro foi anunciado pelo presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchoa (PDT), como o filho que dará “continuidade à obra de Eduardo”. O pedetista, logo em seguida, também mencionou o nome de João, filho do ex-governador apontado pelos socialistas como candidato a deputado federal em 2018.

Ao final do discurso, Pedro foi aplaudido de pé. Da tribuna, ao lado do prefeito Geraldo Julio e do governador Paulo Câmara, ambos do PSB, Renata Campos mostrava orgulho com cada palavra dita pelo filho. O advogado Antônio Campos, irmão de Eduardo, e a ministra do Tribunal de Contas da União (TCU) e mãe do ex-governador, Ana Arraes, também compareceram à homenagem na Assembleia.

Além de Pedro, discursaram Guilherme Uchoa, o deputado Lula Cabral (PSB), autor do requerimento para a sessão solene, e o governador Paulo Câmara. Todos destacaram que a primeira disputa eleitoral da qual Eduardo participou foi para a Assembleia – ele foi o terceiro candidato a deputado estadual mais votado em 1990 em Pernambuco, obtendo 22.477 votos.

“Foi desta Casa que, há 25 anos, Eduardo exerceu com muita competência e destaque seu primeiro mandato parlamentar. Os quatro anos que ele passou aqui, sem dúvida, foram de muito aprendizado e afirmação. Como deputado estadual, aos 25 anos de idade, Eduardo já defendia as ideias e propostas, já apresentava muitas das qualidades – a postura, coragem e coerência – que fizeram dele um dos maiores homens públicos do nosso tempo ”, discursou Paulo Câmara.

A homenagem ainda teve entrega de flores a Ana Arraes e Renata Campos. A viúva de Eduardo também recebeu uma placa em homenagem ao marido. Em um telão, imagens do ex-governador com os deputados estaduais foram exibidas ao longo dos pronunciamentos de Guilherme Uchoa e Lula Cabral. Um telão foi colocado no pátio da Assembleia para que as pessoas que não conseguiram acessar o plenário pudessem acompanhar a cerimônia.

Nesta quarta-feira, será a vez da Câmara dos Deputados homenagear Eduardo Campos com uma sessão solene. (com Jornal do Comércio)

Comentários