Paraibano na Flórida relata caos gerado pelo furacão Irma: ‘pedimos a Deus que venha fraco’

0
53

Nesta sexta-feira (08), o paraibano Jean Cantoni publicou em suas redes sociais um vídeo onde mostra como está se preparando para passar pelo furacão Irma, fenômeno de grau 4, que já deixou doze mortes durante sua passagem pelo Caribe.

Jean mora no estado estadunidenses da Flórida, trabalha com construção civil e afirmou que a situação na sua região está bem crítica: “o furacão tem devastado muitas coisas e nós temos orado muito pedindo a Deus que ele chegue devagar por aqui”.

Ele contou que preparou a sua residência para sofrer o mínimo de danos durante a passagem da tempestade, além de comprar água e comida. Assista ao seu depoimento.

MIAMI – O furacão Irma foi rebaixado para a categoria 4 — a segunda mais alta na escala Saffir-Simpson —, mas continua “extremamente perigoso”, anunciou nesta sexta-feira o Centro Nacional de Furacões (NHC). Irma registra atualmente ventos de de 250 km por hora, segundo o NHC. O furacão, que segue em direção a Cuba e o estado da Flórida (Estados Unidos), provocou pelo menos 12 mortes no Caribe e muitos danos materiais. A tempestade segue para as Bahamas com ventos de 280 km/h, segundo o último boletim do Centro Nacional de Furacões (NHC).

A passagem pelo Caribe foi devastadora: duas pessoas morreram em Porto Rico, quatro nas Ilhas Virgens americanas, uma em Barbuda e cinco na ilha de Saint Martin (quatro do lado francês e uma do lado holandês).

Cuba espera a passagem do furacão durante a noite de sexta-feira. As autoridades decretaram alerta máximo em sete de suas 15 províncias e obrigaram a retirada de 10 mil turistas estrangeiros.

Quase um milhão de pessoas receberam ordens de deixar áreas costeiras de Flórida e Geórgia, na maior evacuação maciça nos Estados Unidos em 12 anos.

— Será realmente devastador — antecipou na quinta-feira o diretor da Agência Americana de Gestão de Emergências (Fema), Brock Long. — Todo o sudeste dos Estados Unidos deve se proteger.

Depois do Irma, o Caribe enfrentará a fúria de outros dois furacões: José e Katia.

José, que segue a trajetória de Irma, ganhou força na quinta-feira e subiu para categoria 3, com ventos de até 195 km/h, segundo o NHC. Katia, de categoria 1, deve chegar à costa do estado mexicano de Veracruz também na sexta-feira.

Paraíba.com

Comentários