Deputados paraibanos divergem sobre futuro político do Governo Temer

0
48

A possível ascensão de Rodrigo Maia (DEM) à Presidência da República tem sido vista com bons olhos por seus aliados. A maioria aposta que o presidente Michel Temer (PMDB) não tem mais condições de governar o país por conta dos escândalos.

O Portal MaisPB conversou com deputados federais paraibanos sobre a possível saída de Temer da Presidência da República e expectativas para esta semana, que promete ser de grande movimentação na Câmara dos Deputados em virtude da apresentação do relatório da denúncia contra Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O presidente é acusado de corrupção passiva pela Procuradoria-Geral da República.

Aliado e amigo de Rodrigo Maia, o deputado Efraim Filho (DEM), que lidera o partido na Câmara, não fala abertamente sobre a chance do companheiro mudar de endereço de trabalho, deixando o Congresso Nacional para o Palácio do Planto, mesmo de forma provisória, mas ressalta o ‘trabalho’ que, segundo ele, vem sendo bem desenvolvido pelo democrata à frente da Casa.

“Rodrigo tem se destacado pela serenidade e pela capacidade de diálogo, inclusive com a oposição”, declarou Efraim.

Quem também aguarda com grande expectativa a votação é o PSDB, que hoje conta com dois parlamentares paraibanos no Congresso Nacional: o deputado federal Pedro Cunha Lima e o senador Cássio Cunha Lima.

Antes, apenas Pedro defendia abertamente o desembarque de tucanos da base aliada de Temer. Cássio fazia parte da ala do partido que em 11 de junho resolveu dar mais uma chance a Temer. Na época havia acabado de ser vazada e confirmada a delação de executivos da empresa JBS, que atingiu diretamente Michel Temer

Agora, com a apresentação da denúncia por meio da Procuradoria-Geral da República pai e filho comungam do mesmo pensamento: o comando do país precisa ser alterado.

“Ninguém está acima da lei, todos devem ser julgados perante as leis”, ponderou Pedro Cunha Lima.

Por outro lado, aliado e companheiro de partido de Temer, Hugo Motta (PMDB) anda confiante de que a denúncia será rejeitada pela Câmara dos Deputados.

“O PMDB trabalha para continuar este cenário e retomar o crescimento do país. O presidente tem confiança na inocência, ele se coloca como inocente”, ponderou.

Motta afirma que ainda está cedo para pensar em sucessão presidencial, mesmo com todos os ventos soprando a favor de Rodrigo de Maia.

“Eu acho que é precoce tratar essa situação, é uma falta de compromisso. Temos que analisar o que está sendo posto, estimular essa instabilidade não é bom para o país”, avalia Hugo Motta.

Único paraibano titular na Comissão de Constituição e Justiça na Câmara dos Deputado, Luiz Couto tem sido ferrenho nas críticas contra o Governo. Ele foi um dos únicos parlamentares do estado que já declarou voto favorável pela denúncia.

Confiança

Na semana que antecede o calor da votação que mais lhe interessa no Congresso Nacional, o presidente Michel Temer viajou para Alemanha para participar do encontro com os chefes de Estado dos 20 países mais importantes do mundo.

Temer, no entanto, antecipou seu retorno ao Brasil e garantiu estar “tranquilíssimo”.

Ponto final do PSDB

A posição dos nordestinos Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e do presidente interino do PSDB, Tasso Jereissati, não agradou aos caciques do partido no Sul.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckimin, e o prefeito de São Paulo, João Dória, ambos cotados para disputar a Presidência da República em 2018, acreditam que os tucanos devem permanecer ao lado de Temer.

Por conta disso, marcaram uma reunião para amanhã para que apresentem essa tese aos demais membros do partido. Temer aposta na influência do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para evitar uma debandada de tucanos do seu governo.

 

 

Comentários