Fernando Catão descarta má-fé em relatório

0
44

O conselheiro Fernando Catão se defendeu das acusações de alterar intencionalmente o relatório da auditoria do Tribunal de Contas sobre as contas do Governo do Estado. Na manhã de hoje, Catão repudiou a ‘ilação’ e disse que jamais trabalhou em favor de partidos políticos.

“Apenas houve uma não subtração de 29 mil aposentados e 11 mil pensionistas. Não há má-fé. Eu quero afirmar que não temo nenhum dos escribas a serviço de quem quer que seja. Não tenho dúvida da retidão da nossa auditoria”, afirmou durante sessão.

O conselheiro garantiu que continuará a assinar os pareceres da auditoria por confiar no corpo técnico do Tribunal. “Assinei e continuarei a assinar sem que com isso as decisões sejam vinculadas a qualquer político”, garantiu.

Comentários