Juíza manda soltar tenente e mais dois estudantes presos pela PC suspeitos de fraudar vestibular de medicina em João Pessoa

0
185

A Juíza Graziela Queiroga expediu alvará de soltura em favor do tenente da Polícia Militar, Moises Williams da Silva e dos estudantes de medicina José Victor Barbosa e Raiane Barbosa Araújo, ambos de 20 anos, que foram presos na tarde deste sábado (3),  suspeitos de fraudar o vestibular de medicina de uma faculdade particular no bairro Valentina de Figueiredo, em João Pessoa.

Segundo informações divulgadas pelo delegado Lucas Sá, chefe da Delegacia de Defraudações de João Pessoa, que comandou às prisões, a juíza homologou o flagrante e deferiu a liberdade provisória em favor dos três suspeitos.

Lucas Sá informou quem um grupo de WhatsApp da DDF, que a juíza determinou algumas medidas cautelares como não se ausentar da comarca sem autorização, comparecimento aos atos processuais e outras medidas.

“Em face dos antecedentes criminais dos presos, a juíza concedeu a liberdade provisória. Não houve relaxamento da prisão. O processo criminal seguira o seu curso normalmente, com os suspeitos em liberdade”, explicou o delegado.

Nesse sábado (3), o delegado disse que o trio foi preso dentro da sala de aula quando realizava a prova. A polícia recebeu a informação de que os suspeitos estavam realizando a prova e tinham falsificado uma nota do Enem para obterem abatimentos nas mensalidades e outras vantagens.

“A prisão foi feita após acionamento feito pela comissão de vestibular da faculdade, que descobriu as fraudes e acionou a Polícia Civil. Eles fraudaram documento particular e alteraram a nota do Enem para entrarem nas vagas destinadas às melhores notas do exame”, informou o delegado Lucas Sá, que disse que a entidade de ensino superior consultou o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e descobriu a divergências.

Os presos foram autuados no plantão da Delegacia de Defraudações de João Pessoa e vão responder pelos crimes de falsidade documental e ideológica.

 

Comentários