Prefeito de Alhandra divulga data do pagamento dos servidores municipais

0
58

O prefeito de Alhandra, Renato Mendes (DEM), confirmou nesta segunda-feira (30) que a Prefeitura enviará amanhã (31), ainda dentro do mês, a remessa da folha de pagamento dos servidores efetivos e comissionados. Após o processamento noturno os servidores terão nesta quarta-feira (1º) os salários creditados em suas respectivas contas bancárias, resultando assim, em mais um compromisso prometido e honrado da atual gestão, apesar da turbulência financeira que o município enfrenta.

Renato Mendes não mediu esforços para efetuar os pagamentos dos salários após realizar o recadastramento dos efetivos. Outro fator que quase comprometeu o pagamento foi o bloqueio das contas municipais, devido aos diversos cheques sem fundo repassados pela administração anterior, motivo pelo qual Renato Mendes teve que procurar os credores para resgatar os cheques e só assim desbloquear as contas.

“Os salários de todos os servidores municipais serão pagos em um único dia. A folha será enviada nesta terça, dia 31, ao Banco do Brasil e, após o processamento noturno, todo o funcionalismo alhandrense terá, na quarta, dia 1º, os salários creditados em suas respectivas contas bancárias. Passei oito anos pagando rigorosamente em dia e não será dessa vez que deixarei de cumprir um calendário criado desde a nossa primeira gestão. Honrarei todos os compromissos com os funcionários. Podem ficar tranquilos.”, garantiu Renato.

Enfrentando inúmeras dificuldades financeiras, devido aos desmandos da gestão do seu antecessor, em 30 dias, o atual prefeito conseguiu negociar diversos débitos que prejudicaram o início de sua gestão. A conta de energia no valor de R$ 150 mil foi negociada, paga, e a energia religada. Renato também realizou acordo de pagamento e negociação dos consignados com Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e até com o plano odontológico Unidentis. A administração passada retirava valores dos contracheques dos funcionários e não repassava aos bancos e nem ao plano.  “Corremos atrás para resolver esses problemas para que o funcionalismo não ficasse com o nome sujo no SPC e Serasa. Essa foi, sem dúvida, uma grande irresponsabilidade do ex-prefeito”, pontuou Renato.

Além de todos esses débitos, ainda teve o bloqueio da primeira parcela do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) no valor de R$ 500 mil, só restando ao município cerca de R$ 9 mil para suprir as despesas da cidade.

 

Comentários