Rodolpho Carlos se apresenta, mas não responde perguntas do delegado

0
50
Com chegada prevista para as 10 horas de hoje, Rodolpho Carlos se antecipou e compareceu à Central de Polícia de João Pessoa às 8 horas para prestar depoimento sobre o atropelamento do agente de trânsito Diogo Nascimento de 34 anos. O jovem deixou o local por volta das 11 horas e, na saída, um cunhado da vítima, Alex Cândido, que também é agente de trânsito, deu uma pancada no veículo que levava o principal suspeito do crime.
O clima era muito tenso quando Rodolpho deixou a Central de Polícia. Ele foi chamado de “assassino” e “monstro” por populares que estavam aguardando sua saída.
 Apesar de ter se apresentado, Rodolpho não respondeu às perguntas feitas pelo delegado Marcos Paulo Villela: “Ele tem o direito de silenciar”, disse.
O carro que Rodolpho dirigia no momento do atropelamento, um Porsche branco, continuará apreendido durante as investigações.

Comentários