Deputado diz que declarações de tesoureiro do PMDB sobre Lira foram “infelizes”

0
50

O deputado federal Veneziano Vital do Rêgo se manifestou sobre o “convite” feito pelo tesoureiro do PMDB no estado, Antônio de Souza, para que os peemedebistas aliados ao projeto do governador Ricardo Coutinho (PSB) deixem a legenda. O parlamentar avaliou que Souza emitiu “opiniões infelizes” ao falar sobre o senador Raimundo Lira e que o partido precisa de todos os integrantes para o fortalecimento da legenda.

“Imagine se saírem todos que divergem: o PMDB fecha as portas de vez e acaba. Porque sairia Raimundo Lira, sairia Veneziano, Nabor, André Amaral”, disse o deputado. Ele afirmou que o tesoureiro é uma figura muito querida e muito importante no PMDB, mas “sabe que não se pode ir por essa linha”. Nós precisamos de Antônio, de Maranhão, entre outros, mas quando se fala em uma instituição partidária, as decisões não podem ser isoladas”.

Apesar dos desentendimentos públicos entre os membros do partido, Veneziano rechaçou a tese de que estaria havendo uma divisão na legenda. Para ele, há opiniões divergentes que serão corrigidas a partir do esforço de organizar a legenda. “As decisões do PMDB não serão tomadas e adotadas por uma, duas ou três pessoas, mas sim, vai ser uma decisão coleta. A opinião de Maranhão é importante, mas ela não é a única que pode prevalecer e nós vamos dizer isso claramente na sexta-feira”.

Sobre as decisões políticas para as eleições de 2018, o peemedebista afirmou que estas serão tomadas e adotadas “no seu tempo correto, que é o ano de 2018”. “Não adianta fazer uma extensão desse processo, antecipando”, concluiu.

Comentários