Veneziano alerta RC sobre demora para escolher sucessor e quer definição até o carnaval deste ano

0
38

O deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) alertou nesta quinta-feira (5) o governador Ricardo Coutinho (PSB) sobre a escolha do sucessor governista nas eleições de 2018. O peemedebista espera que depois do carnaval o governador defina o nome que vai disputar o governo em 2018.

“Não embarco em aventuras ou improvisações”, frisou.

Pessoalmente, Veneziano não descarta uma aliança com o PSB, ponderando, no entanto, que deve haver uma discussão racional e objetiva da conjuntura.

Veneziano também revelou que não cogita deixar os quadros do PMDB, embora reafirme as críticas à cúpula do partido pela falta de maior diálogo e maior atenção às lideranças políticas filiadas. Ele disse que mantém a avaliação já externada de que o PMDB tornou-se um partido “mediano” na Paraíba e tende a se tornar um partido “menor”.

O parlamentar também garantiu que torce pela reconciliação de todos os líderes peemedebistas da Paraíba, ressaltando sua amizade pessoal com o vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PMDB).

“Tenho grande apreço pelo vice-prefeito Manoel Júnior, um companheiro de longuíssima data. Eu desejo, do fundo do coração, que ele tenha toda sorte do mundo nesse desafio, porque o êxito dele e do prefeito Luciano Cartaxo representa o êxito de João Pessoa”, afirmou.

Veneziano ainda explicou que em nenhum instante questionou a interferência do senador José Maranhão nos diretórios municipais do partido, mas a pressa em declarar o rompimento com o PSB.

“O que eu questiono é o fato do PMDB não ter estabelecido um diálogo razoável com o PSB nos municípios. O retrato que você extrai do resultado eleitoral de 2016 é que o PMDB saiu bem menor. O PSB também se apequenou. Isso é ponto pacífico e os números comprovam. Ganhou mais o PSDB, ponto. Os tucanos se fortaleceram nos grandes municípios”, explicou Veneziano.

O deputado também sugeriu que o partido faça uma reunião de avaliação da conjuntura política para as eleições de 2018 convocando os principais líderes do partido.

“Tanto eu, quanto o governador Zé Maranhão, o senador Raimundo Lira, o deputado Manoel Júnior e outros companheiros, precisamos sentar e reconhecer que nossa força diminuiu. Não podemos mais ostentar o título de maior partido da Paraíba. A falta de um bom diálogo nos levou à perda de dois deputados estaduais, Gervásio Maia e Trócolli Júnior. Perdemos por falta de diálogo o presidente da Assembléia Legislativa, isto é fato”, finalizou.

Comentários