Servidores e docentes da UFPB protestam na Praça 1817 contra a PEC 55

0
67

Contra a Proposta d\e Emenda à Constituição nº 55/2016, que limita os investimentos públicos pelos próximos 20 anos, e a Medida Provisória (MP) que institui a reforma do Ensino Médio, professores e servidores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) realizam um ato público, hoje, Dia Nacional de Paralisação, pela manhã, na Praça 1817, Centro.

As atividades de todos os campi da UFPB de João Pessoa, Areia, Bananeiras e Areia serão paralisadas. A Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) não vai aderir à paralisação, mas mantém o indicativo de greve sem previsão. A paralisação dos professores foi deliberada durante as assembleias do dia 16 e 17, e juntamente com esta decisão, foi decidido que todos os campi da UFPB teriam suas atividades paralisadas.

Após a concentração na Praça 1817, os militantes vão abordar a população, para explicar sobre os motivos da concentração e esclarecer as medidas e como elas podem prejudicar direitos essenciais como educação e saúde.

De acordo com o representante o Sindicato dos Docentes da Universidade Federal da Paraíba (ADUFPB), Marcelo Sitcovsky,] alguns servidores serão enviados no dia 29 deste mês, data prevista para a votação da PEC 55, para uma ação que acontecerá em Brasília.

“Essa paralisação é contra todos os ataques aos direitos e políticas sociais, que estão consolidados na PEC 55. Mas também contra outras medidas do atual governo, como a Reforma da Previdência e Trabalhista”, acrescentou Marcelo Sitcovsky.

Greve dos professores – A UFPB não vai aderir à greve para o próximo período, de acordo com o representante da ADUFPB foi discutido o indicativo da adesão dos professores das instituições federais de ensino na UFPB à greve, durante assembleias dos dias 16 e 17, e foi decidido que apesar de identificar que a luta contra a PEC 55 é justa e importante, não teria sentido entrar em greve em pleno final de semestre. “Nós avaliamos e resolvemos que não iríamos defraudar greve, pois não faz sentido em pleno período de férias.

Redação com ADUFPB

Comentários