Alexandre Kalil derrota PSDB em BH e confirma novo vexame de Aécio

0
47

O ex-presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil (PHS), será o novo prefeito de Belo Horizonte. Neste domingo, ele recebeu 52,98% dos votos válidos na capital mineira. O segundo colocado, João Leite (PSDB), ficou com 47,02% dos votos.

O resultado é uma derrota para o senador Aécio Neves (PSDB), padrinho político de Leite – a terceira do senador em sua terra natal. Aécio perdeu em Minas Gerais a disputa para Presidência da República em 2014, ano em que viu seu candidato ao governo, Pimenta da Veiga, ser derrotado pelo petista Fernando Pimentel. O fiasco em mais esta campanha pode enfraquecer sua nomeação como candidato tucano à Presidência da República em 2018. Enquanto isso, seu principal oponente nessa disputa, o governador Geraldo Alckmin (PSDB), fez de seu afilhado, o empresário João Doria, o primeiro prefeito eleito em primeiro turno em São Paulo.

O “outsider político” Kalil chegou até aqui em grande medida pela fama que conquistou como cartola. Sua figura era tão conhecida na capital mineira que nem os míseros 20 segundos de que dispunha no horário eleitoral e a ausência de um padrinho político o impediram de alcançar o segundo turno.

Kalil sucederá Márcio Lacerda (PSB), que conclui seu segundo mandato com 32% de aprovação dos belo-horizontinos, segundo pesquisa IBOPE. O atual prefeito declarou apoio a João Leite no segundo turno.

A coligação de Kalil era formada por PHS, Rede (partido de seu vice, Paulo Lamac) e PV.

Trajetória

Kalil, 57, foi presidente do Clube Atlético Mineiro entre 2008 e 2014. Nesse período, viu o time passar ao “andar de cima” do futebol brasileiro, com a conquista da Libertadores, em 2013, e da Copa do Brasil, em 2014.

Mas também colecionou inimigos com declarações nada lisonjeiras a times rivais (“[Ser cruzeirense] é igual a ser aleijado. Coitado, não tem culpa, nasceu!”), juízes (chamou de “babaca” um magistrado federal que bloqueou as contas do Galo) e a TV Globo (“A Globo está fragilizada porque a audiência está indo para o c…”), entre outros.

Comentários