Com paraibano em campo, Brasil vence Alemanha nos pênaltis e conquista ouro inédito

0
31

A seleção brasileira de futebol, finalmente, conseguiu o ouro olímpico. Na 13ª tentativa, o time nacional venceu a Alemanha, nos pênaltis, por 5 a 4, no Maracanã lotado, e chegou pela primeira vez ao alto do pódio olímpico neste sábado (20).

No tempo normal, a decisão terminou empatada em 1 a 1. Neymar abriu o placar no primeiro tempo, enquanto Max Meyer igualou na volta do intervalo. Na prorrogação, a igualdade permaneceu.

Já nas penalidades, o alemão Petersen desperdiçou a quinta cobrança e deu início a festa no estádio carioca. Em seguida, Neymar garantiu a vitória inédita.

Para os torcedores, que lotaram o Maracanã, a final teve um sentimento de vingança da goleada de 7 a 1 imposta pelos alemães em pleno Mineirão na Copa do Mundo de 2014.

A vitória da seleção foi o ponto alto da campanha brasileira nos Jogos do Rio, que soma agora 17 medalhas. O jamaicano Usain Bolt aproveitou a festa. Um dos ícones da Olimpíada, ele comemorou a vitória ao lado dos familiares de Neymar.

O atacante foi o destaque da decisão. Ele fez o gol no tempo normal e o último pênalti. Com cãibra, ele comemorou deitado no gramado do Maracanã. A torcida gritava “o campeão voltou”.

Depois de um início irregular, quando empatou as duas primeiras partidas, a seleção fez uma campanha incontestável. Venceu todos os mata-matas e sofreu apenas um gol no torneio.

Baseado em triangulações e muita troca de passes, o esquema ofensivo desenhado pelo baiano Rogério Micale atacantes funcionou.

Além de se sagrar campeão olímpico, a seleção estabeleceu uma série de recordes nos Jogos do Rio. O time de Micale se tornou o maior vencedor do torneio olímpico de futebol, com 34 vitórias.

O Brasil também é agora o maior medalhista da história da competição, com um ouro (Rio-2016), três pratas (Londres-12, Seul-88 e Los Angeles-84) e dois bronzes (Pequim-08 e Atlanta-96).

Outro feito estabelecido pela seleção na noite deste sábado (20) foi terminar com um jejum de 24 anos e alcançar uma marca obtida por apenas três países: ganhar a medalha de ouro no futebol jogando no seu país.

A Espanha foi a última que ganhou o título em casa _em Barcelona-92. Antes da vitória espanhola, os donos da casa só conquistaram o título olímpico na era pré-Copa do Mundo, quando o futebol ainda era amador.

Os britânicos venceram em Londres-08. Doze anos depois, os belgas venceram na Antuérpia-20.

A festa foi armada pelo torcedor antes do início da partida. Bastou os alemães pisarem no gramado para os torcedores começarem a gritar “Ô, Alemanha, pode esperara, a sua hora vai chegar”

Exatamente, às 17h, o sistema de som colocou o histórico samba “É hoje” da União da Ilha. O refrão “É hoje o dia da alegria e a tristeza/Nem pode pensar em chegar” foi cantado pelos torcedores como um aquecimento.

O JOGO

A seleção começou a final de maneira agressiva. O time marcava forte os defensores alemães, mas pouco coisa acontecia.

O primeiro bom lance foi da Alemanha. Aos 10min, da entrada da área, Brandt chutou no travessão.

O Brasil continuava melhor, com mais posse de bola. O gol não demorou a sair. Aos 26min, Neymar cobrou uma falta com perfeição da entrada da área sem chance para o goleiro alemão Horn.

A Alemanha não sentiu a pressão. A partir daí, o jogo virou. Os europeus partiram para cima e por pouco não empataram. Chegaram a chutar mais duas bolas na trave de Wéverton

No segundo tempo, Micale manteve o mesmo time. A técnica foi deixada de lado. A decisão virou uma sucessão de passes perdidos para os dois lados.

Os alemães aproveitaram as falhas seguidas de Wallace e Marquinhos e empataram. Aos 13min, Max Meyer fez o gol alemão.

No meio do segundo tempo, o técnico da seleção mexeu no time. Ele colocou Felipe Anderson no lugar do santista Gabriel, que estava apagado em campo.

O Brasil melhorou, mas a Alemanha também assustava. Aos 33min, Felipe Anderson perdeu uma bela oportunidade ao falhar na cara do goleiro após receber um lindo passe. Na sequência, o atacante do Barcelona fez uma jogada individual e quase desempatou.

A partir daí, a pressão brasileira aumentou, mas o gol não saiu. Já nos acréscimos, Neymar foi “fominha”, não deu o passe para Douglas Santos que entrava livre chutou em cima da defesa alemã.

Na prorrogação, a decisão ficou ainda mais nervosa. Aos 2min, Gabriel Jesus desperdiçou uma boa oportunidade ao receber um passe livre, mas foi superado pelo defensor. Micale o tirou do time na sequência. Ele colocou Rafinha no lugar do palmeirense.

Aos 5min, Luan desperdiçou o seu contra-ataque. Em seguida, foi a vez dos alemães. O atacante Brandt quase desempatou.

No segundo tempo da prorrogação, Felipe Anderson por pouco não fez o da vitória brasileira. Ele aproveitou lançamento de Neymar e chutou forte, mas o goleiro Horn colocou para escanteio

A partir daí, a Alemanha cresceu deixando a final mais dramática. Nos minutos finais, os torcedores davam uma vaia ensurdecedora a cada ataque adversário.

Dentro de campo, os brasileiros cansaram e seguravam o resultado como podia. Neymar começou a alegar cãibras.

Na emocionante disputa de pênaltis, o goleiro Weverton defendeu a quinta cobrança dos alemães. Já Neymar fez o do Brasil e garantiu o inédito ouro olímpico.
Redação com Folhaonline

Comentários