Multidão se aglomera para dar último adeus a Biuzinha; famosos e amigos lamentaram morte

0
76

Uma multidão de fãs, amigos e admiradores do humorista Adeilton Pereira Dias, que dava vida ao personagem “Biuzinha Priqui” se aglomerou dentro e fora do Centro Cultural de Mangabeira, em João Pessoa, Capital da Paraíba, na noite desta quinta-feira (18), para dar o último adeus ao artista.

O local fica no encontro das ruas Josefa Taveira e Doutor Euclides Neiva, que juntas formam a via principal do bairro.

O velório foi aberto ao público às 17h desta quinta, e se estenderá até a manhã desta sexta-feira (19). O sepultamento ocorrerá nesta sexta-feira (19), no cemitério Parque das Acácias, no bairro José Américo, também na Zona Sul, no período da tarde.

Devido a aglomeração de pessoas, uma colisão entre dois veículos foi registrada em frente ao local do velório, mas ninguém ficou ferido. Policiais estão no local para organizar a multidão e dar segurança aos fãs. O clima de comoção é geral.

A morte de Biuzinha foi confirmada na manhã de hoje, por volta das 10h, pela assessoria de imprensa do Hospital de Emergência e Trauma da Capital O ator estava internado desde o sábado (13) no Hospital de Trauma de João Pessoa. Ele teria sofrido um acidente doméstico seguido de paradas cardíacas, em um condomínio na capital paraibana, segundo amigos. A informação do acidente foi confirmada por colegas de Adeílton Pereira, em redes sociais.

Edílson Alves, que também faz parte da Cia Paraibana de Comédia, disse em seu perfil que “por volta das 17h do sábado, Adeílton Pereira (Biuzinha) sofreu uma queda na escada do seu condomínio e teve duas paradas cardíacas. Ao chegar no hospital, sofreu a terceira parada cardíaca”.

Adeílton foi encaminhado no fim da tarde do sábado para o Hospital Ortotrauma de Mangabeira, o Trauminha, em João Pessoa. Porém, devido à gravidade do estado de saúde, foi transferido para o Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena, onde deu entrada por volta das 22h20 com um quadro de Acidente Vascular Cerebral Hemorrágico (AVCH).

De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital de Trauma, os médicos neurologistas informaram que Adeílton Pereira teve um quadro de sangramento cerebral difuso e, por isso, estava internado na ala vermelha do hospital, entubado. Na quarta feira (17) o quadro clínico apresentou piora. Os médicos já davam o diagnóstico como irreversível. Na manhã de quinta-feira (18) o óbito foi confirmado.

Comentários