Acusado de envolvimento na ‘Máfia dos Sanguessugas’, Benjamin depõe nesta quarta no STF

0
47
O deputado federal, Benjamin Maranhão (SD) vai depor nesta quarta-feira (29) no Supremo Tribunal Federal (STF) às 14h. O parlamentar paraibano é acusado de corrupção passiva no escândalo que ficou conhecido como “Máfia dos Sanguessugas”.

Benjamin vai depor para prestar esclarecimentos à Justiça na Ação Penal 616 e a ministra Rosa Weber é a relatora da ação.

A oitiva que estava agendada para acontecer antes dos festejos juninos foi adiada, pois o deputado comprovou que estava com passagem emitida para o exterior no mesmo período.

Na Ação Penal, o deputado paraibano é acusado de participar de um esquema criminoso por meio do qual eram contratadas as empresas do Grupo Planan por licitações dirigidas para o fornecimento de ambulâncias a preços superfaturados a diversos Municípios brasileiros.
A contratação estaria condicionada ao pagamento de vantagem indevida a agentes públicos, inclusive a parlamentares federais responsáveis por emendas no Orçamento Federal viabilizadoras de recursos para as compras.
No presente caso, os dirigentes da Planan, Luiz Antônio Trevisan Vedoin e Darci José Vedoin, declararam, após acordo de delação premiada, que realizaram vendas de ambulâncias a diversos Municípios do Estado da Paraíba e que elas foram viabilizadas por emendas de diversos parlamentares, inclusive de Benjamin.
Ainda segundo os dirigentes, ficou acordado o pagamento de comissão de 10% sobre o valor das emendas ao acusado. Especificam vantagem indevida de R$ 15.000,00 entregue em mãos em 21.9.2004, de R$ 10.000,00 entregue em mãos em 15.6.2004, e de R$ 15.000,00 depositados. Além de suas declarações, os autos encontram-se instruídos com manuscritos apreendidos que contêm referência a esses pagamentos, inclusive em um deles com a identificação de conta bancária.
Outro político da Paraíba citado no esquema é o ex-senador Ney Suassuna. Ele recentemente externou o desejo de retornar à disputa eleitoral, entrando na corrida, mais uma vez, por uma vaga no Senado Federal, agora nas eleições de 2018.

Comentários