‘Reconhecimento internacional é fruto do novo padrão na educação1″, diz Cartaxo

0
29

O trabalho realizado pla Prefeitura de João Pessoa na área de educação vem obtendo resultados e reconhecimentos que ultrapassam as fronteiras do município. Nesta quinta-feira  (5), o prefeito Luciano Cartaxo esteve com os gestores de três escolas que apresentaram as experiências exitosas desenvolvidas e premiadas com o selo da Unesco.

Os representantes das unidades de ensino Pedra do Reino, no bairro do Grotão, Aruanda, nos Bancários, e Paulo Freire, no Jardim Veneza, apresentaram ao prefeito como têm aplicado nas escolas esse novo padrão de educação.

Para o prefeito, o selo de qualidade concedido pela Unesco mostra que os esforços da gestão na área de educação comprova a escolha pelo caminho certo. “Melhorar as nossas escolas não passa apenas pela ampliação dos investimentos, mas também pela forma como aplicamos os recursos. Isto exige planejamento, vontade e capacidade de realização”, resumiu Luciano, lembrando também da preocupação com o “bem estar e conforto dos alunos, que passaram a contar com nova estrutura nas escolas, acesso a aulas de robótica, salas climatizadas e material escolar de primeira linha”, reforçou.

O certificado da Unesco faz parte de um projeto das Nações Unidas que consiste em criar uma rede internacional de escolas que trabalhem pela cultura de paz, em 130 países. Esta foi a primeira vez que um representante do ensino público da Paraíba recebeu o título. A diretora da Pedra do Reino, Luzenilda Pereira, relatou que os projetos premiados obedecem a critérios internacionais. São iniciativas voltadas para as questões da globalização, meio ambiente, sustentabilidade e gestão compartilhada.

Os alunos, por exemplo, aprendem na prática a preservar o meio ambiente, cuidando do próprio espaço de uso coletivo. “Eles já assimilaram tão bem nossos ensinamentos que ao final do recreio não encontramos um pedaço de papel no chão”, afirmou. Na gestão compartilhada, a escola interage não apenas com os pais dos alunos matriculados, mas com outros representantes e moradores, que indicam como as escolas podem se envolver ainda mais na realidade das comunidades. “As crianças têm voz e vez, com participação no Orçamento Participativo da Criança e do Adolescente”, afirma a diretora da escola Paulo Freire, Chirley Martins.

A diretora da Escola Aruanda, Abigail Niedja, diz que é uma vitória integrar uma rede tão seleta de escolas, e poder servir de exemplo em educação para países de todo o mundo. “É gratificante fazer parte de uma rede tão qualificada, porque estamos no meio de escolas não apenas públicas, mas também particulares, de mais uma centena de países”, comemorou. Durante o encontro, os diretores das escolas premiadas receberam um notebook, como reconhecimento do trabalho desempenhado.
Secom-JP

Comentários