Cássio e Manoel Júnior costuram aliança para disputar eleição em João Pessoa

0
52

A aproximação entre PMDB e PSDB no contexto nacional, por causa do iminente impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), começa a repercutir também em João Pessoa. Antes visto como patinho feio para a disputa municipal, Manoel Júnior (PMDB) agora vislumbra de forma mais sólida o apoio dos tucanos. O tema tem sido pauta de várias conversas com o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e já não enfrenta uma oposição tão grande dos três vereadores tucanos.

Alguns ingredientes têm pesado para a aproximação. Há a perspectiva de os tucanos participarem de um eventual governo do vice-presidente Michel Temer (PMDB), a aproximação do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) do PP de Durval Ferreira, presidente da Câmara, sinalizando que ele poderá ser o vice na chapa, e a perspectiva de poder, em oposição aos petistas (maiores inimigos dos tucanos), que Manoel Júnior começa a representar.

Aquele movimento dos três vereadores tucanos (Luiz Fávio, Eliza Virgínia e Marcos Vinícius) pró-Cartaxo não existe mais. As declarações do presidente municipal do PSD, Lucélio Cartaxo, de que não havia sinalização de composição da chapa majoritária com o PSDB frustrou os tucanos que, juntos, tiveram mais de 15 mil votos. Eles exigiam de Cássio e Ruy Carneiro uma composição. Eliza Virgínia, por exemplo, não escondeu o seu descontentamento com o não de Lucélio.

Procurado pelo blog, Manoel Júnior revelou que a conversa tem existido e se intensificado. Ele dá gargalhadas quando perguntado sobre a perspectiva de tirar o PSDB da zona de conforto do prefeito Luciano Cartaxo. Ou seja, pelo andar da carruagem, quando Cartaxo acordar, terá perdido a sigla tucana e o seu tempo de TV.

 

Jornal da Paraíba

Comentários