Adriano Galdino confirma apoio do Republicanos a indicação de nome do PP para vice de João Azevêdo: “fidelidade”

0
0

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino, disse que o Republicanos entrou em consenso com João Azevêdo sobre a formação da chapa majoritária do governo. Em entrevista para a Arapuan FM nesta sexta-feira (22), o deputado disse que o partido aceitou a indicação do Progressistas para vice de João. Dessa forma, paz entre Republicanos e PSB foi selada.

“Mais uma vez o Republicanos dá uma demonstração de fidelidade e de compromisso com esse governo. Aceitou a indicação do Progressistas”, disse.

Ele também afirmou que João Azevêdo sinalizou que terá uma solução caseira para a chapa de Senado, ou seja, o indicado deve ser do próprio PSB.

Em troca do acordo, segundo Galdino, o governador aceitou apoiar sua postulação para a presidência da ALPB no próximo ano e também garantiu  maior participação dos Republicanos dentro da estrutura do governo.

“O Republicanos sinalizou também, no sentido de ter apoio do governo, das pessoas que estão no governo, para que possamos continuar presidente da Assembleia, como também uma maior participação do Republicanos dentro da estrutura do governo”, disse.

Os acordos foram firmados nesta sexta-feira,em reunião entre a cúpula do Republicanos com João Azevêdo. Sobre o encontro, Adriano Galdino o definiu como satisfatório.

Os desentendimentos entre os Republicanos e João Azevêdo quando Aguinaldo Ribeiro saiu como candidato para reeleição como deputado e confirmou que o PP deve indicar o vice do governador para as eleições deste ano.

Na ocasião,Galdino afirmou que o Ribeiro não teria coragem de se arriscar na pré-candidatura ao Senado e prefere o conforto da reeleição. Afirmou, ainda, que Aguinaldo é recém-chegado ao grupo governista e já fez muitas exigências, até pedindo secretarias estaduais.

Logo depois, Galdino retirou o seu nome da lista de candidatos a um espaço na chapa do governador João Azevedo para apoiar Efraim Filho ao Senado.

Comentários