Casa que exibia faixa com frase contra Bolsonaro é apedrejada em João Pessoa

0
1

Invasores atacaram com pedras a casa de uma militante do PT, no bairro do Cristo, em João Pessoa. Cely Andrade relatou nas redes sociais, nesse sábado (16), o susto que teve ao ser surpreendida pelas pedradas que atingiram o terraço de sua residência na capital paraibana. Segundo ela, os três homens ainda tentaram arrancar a faixa que havia na sua grade do terraço com a frase ‘Fora Bolsonaro Já’. Após o caso, por precaução, Cely pediu para o genro remover a faixa e registrou boletim de ocorrência.

“Nunca aconteceu algo nem parecido. Só que ontem eu estava em casa, e eu acredito que os indivíduos tinham certeza que não tinha ninguém em casa porque estava tudo fechado, adentraram no jardim, recolheram as pedras e jogaram. Mas a tentativa mesmo era de rasgar a faixa. Eu ouvi o barulho, abri a porta e saí”, relatou ao ParlamentoPB, neste domingo (17).

Ainda segundo Cely, “só deu para visualizar mais um porque o outro estava por trás de uma parede que tem no terraço, que é todo ‘gradeado’. E essa faixa estava na grade. Aí eu gritei: ‘o que está acontecendo aí? Vou chamar a polícia agora.’ No que eu disse isso, eles correram. Eu fiz o boletim de ocorrência.”

Cely Andrade diz não ter “nenhuma dúvida de que isso é fruto dessa violência política que está acontecendo no país sob o comando do presidente da República. E nós estamos sendo vítimas. Mas a gente é resistente, a gente vai continuar na luta.”

Ela contou que resolveu “tirar a faixa porque nossas vidas são preciosas, eu tenho família e meus amigos vão na minha casa também. Foi por precaução mesmo. Eu estou bem, estou tranquila. Mas é violação, é meu território, é o meu lar. É uma alucinação completa desse pessoal. A gente fica apreensivo mas, ao mesmo tempo, a gente tem o sentimento de que não dá para recuar, não dá para a gente se deixar intimidar e vamos estar na luta como sempre estivemos.”

Questionada se teme uma ação mais grave como a que vitimou o tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu, o qual foi morto por um bolsonarista que invadiu sua festa de aniversário, Cely disse acreditar que “a violência política está declarada. Mas eu acredito que como alvo a minha casa, não. Não é só Cely Andrade, tem os companheiros e companheiras que estão ali na luta, na resistência e eles [os agressores] não têm limites. Abriram as portas mesmo. Um presidente que vai para uma live e diz que as pessoas que estão armadas sabem o que fazer, então já deu a senha. Eu espero que a Justiça possa, realmente, intervir nisso aí. Essa é a preocupação. Agora se pensam que vão nos tirar das ruas, estão enganados. Nós vamos estar defendendo a democracia e o Estado de Direito.”

Comentários