Integrante do MST é encontrado morto com marcas de tiros e tortura na PB e MST denúncia LGBTIfobia

0
0

A Polícia Civil investiga a morte de um morador do pré-Aassentamento Vanderlei Caixe, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), em Pedras de Fogo, na Paraíba. O corpo de Severino Bernardo da Silva, conhecido como Suzy, foi encontrado nesta segunda-feira (4) com marcas de tiros e indícios de tortura.

Segundo o delegado Marcos Paulo, da Polícia Civil, a vítima foi executada a tiros, no Sítio Dois Rios, localizado no assentamento Vanderlei Caixe, em Pedras de Fogo. O crime, de acordo com a polícia, aconteceu na madrugada entre o domingo (3) e a segunda-feira (4).

Há casas próximas ao lugar em que o corpo foi encontrado, mas os moradores não estavam no lugar no momento do crime. Não há informações sobre suspeitos e a polícia ainda está em fase de coleta de maiores detalhes para basear a investigação.

Ainda segundo o delegado, um irmão da vítima foi assassinado em 2020, também em Pedras de Fogo. Na época, um sobrinho dele foi indiciado pelo crime, que tinha relação com disputa entre grupos criminoso da região.

A polícia investiga a morte de Suzy sem desconsiderar uma possível relação entre os dois crimes.

Em nota, o MST lamentou a morte de Suzy e pediu por investigações. Para o movimento, o crime foi motivado por LGBTIfobia.

Suzy é mais um LGBT Sem Terra que perdemos para a LGBTIfobia. A cada 29 horas 1 sujeito LGBT é assassinado no Brasil”, afirma o MST. “Exigimos que os órgãos de justiça realizem as investigações necessárias e que os culpados por esse crime sejam responsabilizados. Justiça por Suzy, já!”, destaca o movimento na nota.

Comentários