Morte de adolescente em João Pessoa não teve relação com vacina da Pfizer

0
564

Exames concluíram que a morte de um adolescente de 15 anos em João Pessoa não tem qualquer relação com a aplicação primeira dose da Pfizer contra a Covid-19. O jovem morreu em outubro do ano passado e a investigação foi concluída pelo Ministério da Saúde, conforme apurou o Portal MaisPB.

“O Ministério da Saúde informa que não há nenhum óbito com causalidade relacionada com as vacinas Covid-19 para a faixa etária de 12 a 18 anos”, disse a pasta em nota enviada à reportagem.

O evento adverso grave pós-vacinação foi notificado pelo o Complexo Hospitalar Arlinda Marques, para onde o garoto foi socorrido, e encaminhado à Coordenação Municipal de Imunização da capital.

À época, a Secretaria de Saúde informou que o caso era acompanhado desde a notificação através da coleta de informações domiciliares e hospitalares de forma conjunta pelo Estado e município, dado o caminho percorrido pelo paciente na rede assistencial.

Em entrevista ao Programa Hora H, da Rede Mais Rádio, nesta sexta-feira (14), o secretário de saúde Geraldo Medeiros comentou a morte do adolescente e disse que ele já tinha um histórico de problemas de saúde.

“Essa criança ela era portadora de uma doença cardíaca congênita, fez um AVC embólico. Migrou um trombo do coração para o cérebro e evoluiu para um AVC hemorrágico com óbito. Pais, mães, responsáveis devem ficar tranquilos que já tem mais de 8 milhões de crianças vacinadas no mundo sem nenhum evento adverso grave.”, afirmou Medeiros.

Na investigação, foram apresentados documentos complementares como prontuários médicos, laudos de exames laboratoriais e de imagem, além de relatórios de evolução de todos os serviços em que o paciente deu entrada para atendimento.

Comentários