“Coceira misteriosa”: sobe para 11 o número de casos notificados e investigados na Paraíba

0
1505

Subiu para 11 a quantidade de casos notificados e investigados de pessoas com lesões cutâneas e coceiras na Paraíba, conforme dado repassado ao ClickPB pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), nesta terça-feira (11). Desde a semana passada, após um surto de uma coceira misteriosa no Grande Recife, a Saúde do Estado decidiu emitir uma nota técnica aos profissionais da área para que notificassem casos suspeitos.

Os casos já foram notificados em seis municípios do Estado: João Pessoa que lidera com cinco notificações suspeitas; Cajazeiras com dois; Alagoa Nova, Caldas Brandão, Campina Grande e Matureia cada um com um caso, totalizando 11. Ontem, o ClickPB trouxe que já havia sete notificações sendo investigadas de acordo com dados repassados pelo secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, em entrevista ao portal.

Dentre os principais sinais e sintomas apresentados pelos pacientes estão prurido (coceiras) e erupção cutânea. No entanto, outros sintomas também foram apresentados como manchas avermelhadas, dor de garganta, dor de cabeça, febre, coriza, diarreia, fadiga, irritação ocular, mal estar, náusea e vômito.

 

Na semana passada, a SES-PB emitiu uma nota técnica aos profissionais da área de saúdedo estado para que se atendessem pacientes com suspeitas notificassem o caso à Secretaria de Saúde. Após esse alerta surgiram as notificações. A orientação é, caso a população apresente sintomas, procurar profissional de saúde, pois a Saúde investiga se há semelhanças com a doença registrada no estado vizinho ou está relacionada com lesões decorrente de outras dermatites.

As secretarias do Grande Recife têm várias linhas de investigação do que seria as lesões e coceiras na pele. Uma das linhas mais fortes é a de que seja escabiose (sarna humana) resistente à Ivermectina – que é utilizado para o tratamento da doença. A suspeita é de que o abuso desse medicamento, que fez parte de um ‘kit Covid’, pode ter causado esse problema. No entanto, ainda se investiga a relação.

Comentários