Foragido, suspeito de matar motoboy Kelton Marques alega “boa conduta”, mas juiz mantém tem prisão preventiva dele

0
1733

O juiz José Márcio Rocha Galdino, da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Capital, rejeitou nesta quarta-feira (20) o pedido impetrado pela defesa do empresário Ruan Ferreira de Oliveira, suspeito de atropelar e matar o motoboy Kelton Marques no Retão de Manaíra, que visava revogar a prisão preventiva decretada pela justiça um dia após o acidente.

Até hoje, quase 40 dias após o ocorrido, o suspeito segue foragido. Na petição, Ruan alegou “possuir condições favoráveis à sua liberdade, a exemplo de primariedade, boa conduta social, profissão definida e domicílio certo”.

Ele disse, ainda, que tem sofrido ameaças, em razão da repercussão do caso, o que estaria inviável a apresentação à autoridade policial para fins de indiciamento e interrogatório já há “risco a sua vida e integridade física”.

Questionado, Ministério Público se manifestou pelo indeferimento do pleito de revogação da prisão. Os argumentos apresentados pela defesa não foram acatados pelo magistrado. Após o pedido negado, a defesa deve entrar com um pedido de Habeas Corpus no Tribunal de Justiça da Paraíba.

Comentários