Preço da gasolina já é encontrado por mais de R$ 6 em João Pessoa, aponta Procon

0
10

O preço da gasolina já pode ser encontrado por mais de R$ 6 em João Pessoa. O preço mais alto foi encontrado por R$ 6,09 à vista ou cartão, registrado em um posto de Tambaú, segundo a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP).

O preço mais barato é de R$ 5,78 à vista, em um posto do Centro – valor 10 centavos mais caro que o constatado no dia 25 de agosto, data do último levantamento. Para pagamento no cartão de crédito, o menor preço da gasolina foi registrado a R$ 5,79.

A pesquisa visitou 111 postos que estão em atividade na capital. O levantamento também constata que 43 postos aumentaram o preço do produto, quatro reduziram e 64 mantiveram os valores em relação à pesquisa do último dia 25. Quanto à variação, a gasolina continua com a menor, 5,6%, e o GNV mantém a maior: 16,2%.

O litro do álcool manteve os mesmos preços da pesquisa realizada na semana anterior, oscilando entre R$ 4,89, no Tambiá, e R$ 5,39, em estabelecimentos do Castelo Branco, Manaíra e Tambaú. Três postos reduziram, 76 mantiveram e 26 aumentaram o preço do produto em relação ao dia 25 de agosto.

Já o menor preço do diesel S10 sofreu um aumento de 27 centavos, saindo de R$ 4,19 para R$ 4,46, no Centro, com o maior reduzindo de R$ 4,99 para R$ 4,89, visto em locais do Castelo Branco, Quadramares, Manaíra e Tambaú. Nove estabelecimentos aumentaram o preço do produto, cinco reduziram e 88 mantiveram o mesmo valor da semana passada.

O Gás Natural Veicular (GNV) mostrou leve redução no menor preço, caindo de R$ 4,13 para R$ 4,12 no Geisel, com o maior se mantendo em R$ 4,79, no Jardim Cidade Universitária. Dos 13 revendedores do produto na capital, nenhum aumentou o preço em relação ao levantamento passado e apenas um reduziu.

O Procon notificou postos de combustíveis da capital para a entrega das notas fiscais de compra dos produtos e de revenda ao consumidor. Com isso, está analisando se os aumentos de preços praticados junto ao consumidor estão dentro dos índices dos aumentos editados pelo Governo Federal.

Comentários