Após baixa no número de casos na Paraíba, HU de Campina Grande encerra UTI covid

0
7

Os 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para atendimento a pacientes com covid-19 do Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC-UFCG/Ebserh) foram desativados no dia 20 deste mês.

A decisão se deu, em acordo com a Secretaria de Saúde do Estado e com a Secretaria de Saúde de Campina Grande, devido à baixa taxa de ocupação dos leitos no último mês.

O HUAC reabriu a ala covid no início de fevereiro para receber pacientes oriundos da capital amazonense. Após as altas dos mesmos, em março, a instituição passou a contar com leitos de UTI para pacientes de Campina Grande e dos municípios pactuados.

A ala covid do HUAC foi montada onde era a ala de infectologia do hospital. Assim, a partir de segunda-feira (30) os leitos serão disponibilizados para pacientes com doenças infecto contagiosas. Contudo, ficarão mantidos quatro leitos de isolamento, dois infantis e dois adultos, para casos de suspeita de covid-19 em pacientes já internados na instituição.

Durante os quase seis meses de atuação, a ala covid recebeu 159 pacientes. Sobre a Ebserh
Desde dezembro de 2015, o HUAC-UFCG é filiado à Rede Hospitalar Ebserh. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação (MEC), foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.
Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, contribuem para a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Hospitalar Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Comentários