Justiça recebe denúncia da Xeque-Mate e torna réus prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo, Leto Viana e mais 18 pessoas

0
44

A Justiça da Paraíba recebeu mais uma denúncia da Operação Xeque-Mate e tornou réus o prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo, o ex-prefeito Leto Viana e mais 18 pessoas. A denúncia foi recebida nesta terça-feira (17).

A denúncia foi apresentada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado da Paraíba (MPPB), em abril deste ano.

O Gaeco pede que Vitor Hugo perca o mandato de prefeito de Cabedelo, cargo que exerce atualmente, desde que reeleito em 2020, após eleição suplementar. O órgão do MPPB também pede indenização de R$ 5 milhões por desvios de recursos na Câmara Municipal de Cabedelo.

O valor de R$ 5.120.965,27 corresponde ao prejuízo causado ao município de Cabedelo com a contratação de funcionários fantasmas para a Câmara Municipal. Conforme a denúncia,  99 funcionários fantasmas estavam lotados nos gabinetes de 13 vereadores.

De acordo com o MPPB, o pedido e seu parâmetro se justificam pela extrema gravidade dos  crimes praticados, assomado ao fato de que os prejuízos decorrentes da corrupção são difusos  e pluriofensivos (lesão à administração pública, à moralidade e, inclusive, à respeitabilidade do Executivo do Estado da Paraíba, sem falar dos reflexos negativos das ações da organização criminosa.

Entre os denunciados, além de Vitor Hugo e Leto Viana, estão a esposa de Leto, Jacqueline Franca, Lúcio José, ex-presidente da Câmara de Cabedelo. Além deles, também foram denunciados Antônio Bezerra do Vale Filho, Francisco Rogério Santiago Mendonça, Belmiro Mamede da Silva Neto, Rosivaldo Alves Barbosa, Tércio de Figueiredo Dornelas Filho, Rosildo Pereira de Araújo Júnior (o Júnior Da Tele), Antônio Moacir Dantas Cavalcanti Júnior, Josué Pessoa de Goes, Reinaldo Barbosa de Lima, Fabiana Maria Monteiro Régis, Leila Maria Viana do Amaral, André Franklin de Lima Albuquerque, Gleuryston Vasconcelos Bezerra Filho, Adeildo Bezerra Duarte, Lindiane Mirella Alves de Medeiros e Marlene Alves da Cruz.

A Operação Xeque-Mate investiga denúncias de corrupção envolvendo o Poder Executivo e a Câmara Municipal de Cabedelo.

Comentários