Novo presidente da câmara Waldir Maranhão fez visita a Cunha

0
0
Deputado Waldir Maranhão assume a presidência da Câmara Federal com o afastamento de Eduardo Cunha. Foto Orlando Brito

O presidente interino da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), foi visto no início da noite desta sexta-feira (6) em Brasília deixando a residência de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que teve o mandato de deputado suspenso e foi afastado da presidência da Casa por decisão do Supremo Tribunal Federal na quinta-feira.

Maranhão deixou a casa de Cunha no carro oficial da Câmara, acompanhado de comboio, mas não parou para falar com jornalistas. A assessoria de imprensa do presidente interino da Câmara não confirmou a ida de Maranhão à casa de Cunha. De acordo com a assessoria, não havia reunião entre os dois prevista para esta sexta. Os dois se falaram na quinta por telefone, segundo a assessoria.

A longo da tarde desta sexta, também passaram pela casa de Cunha os deputados Rogério Rosso (PSD-DF), André Moura (PSC-SE) e Fabio Garcia (PSB-MT).

Waldir Maranhão não compareceu à Câmara durante todo o dia. Em sua residência, recebeu o secretário-geral da Casa e marcou para terça (10) reunião de líderes para definir a pauta de votações.

Nesta quinta (5), após a notícia de que o ministro Teori Zavascki havia determinado a suspensão do mandato de Cunha, Waldir Maranhão se dirigiu ao gabinete da presidência da Câmara e sentou na cadeira usada até o dia anterior pelo peemedebista.

Aconselhado por outros deputados de que “não pegaria bem” usar o gabinete antes de uma decisão do plenário do Supremo, ele retornou ao gabinete da vice-presidência. Após os 11 ministros do STF decidirem manter o afastamento de Cunha, Maranhão participou de uma reunião com alguns líderes partidários e membros da Mesa Diretora.

Preocupado com a avaliação dos pares de que não teria “condições” para exercer a presidência, o deputado do PP tentou demonstrar otimismo. “Vocês vão se surpreender comigo”, afirmou.

Mas, logo depois, na mesma reunião, o presidente interino da Câmara fez um pedido que gerou risos entre os parlamentares.  Maranhão perguntou se seria possível levar adiante uma pauta de votações “leve” para o plenário nas próximas semanas.

Os demais deputados explicaram que, no atual momento de turbulência, não haveria espaço para isso.  Aliado de Cunha, mas contrário ao impeachment de Dilma Rousseff, Waldir Maranhão tem atuação discreta na Câmara. Só se pronunciou no plenário uma vez neste ano, exatamente quando proferiu voto contra a continuidade do processo de afastamento da presidente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor preencha seu nome