26/05/2015 às 21h45

Reginaldo e seu martírio

O prefeito de Santa Rita Reginaldo Pereira vive um martírio. 

Depois de ver a Festa da Padroeira da cidade ser proíbida pela Justiça, desta vez foi obrigado a efetivar os concursados aprovados em 2010, em vez de nomear prestadores de serviço e comissionados. 

A juíza substituta de Santa Rita, Lílian Frassinetti Cananéa, acatou ação civil pública de obrigação de fazer impetrada pelo Ministério Público e determinou que a prefeitura convoque os candidatos aprovados no concurso realizado em 2010 para o preenchimento de vagas no cadastro de reserva da secretaria de Saúde. 

O motivo foi a reclamação de vários concursados a respeito da falta de nomeação deles, enquanto outros servidores, comissionados e prestadores de serviço continuaram nos quadros da gestão municipal.

Em caso de descumprimento, a juíza determinou multa de 10 mil reais por dia. 

Comentários

Recomendado para você