21/12/2015 às 08h14
CMJP

Oposição quer investigação sobre suposto superfaturamento nas obras da Lagoa

A bancada de oposição na Câmara Municipal cobra investigação sobre os recursos e serviços realizados na obra da Lagoa do Parque Solon de Lucena. Segundo relatório da Controladoria Geral da União (CGU), houve um prejuízo de R$5,9 milhões nas obras de revitalização.

Durante a fiscalização, a CGU teria identificado problemas na realização do serviço referente a remoção da areia mole, incluindo o transporte deste material para o aterro sanitário. Foi apontado que o material retirado foi menor que o calculado para o pagamento.

“A oposição já denunciava isso na Câmara. De acordo com a CGU, o custo estimado pela prefeitura previa realização do serviço de forma diversa a executada pela empresa contratada, além de não fazer compor o orçamento básico com a composição de custos unitários do serviço”, explicou o líder da bancada, Raoni Mendes (PTB).

O vereador Renato Martins (PSB) afirma que a auditoria também identificou um superfaturamento de R$ 3,6 milhões na construção de um túnel para regularização do espelho dágua da Lagoa. O problema foi identificado no item referente ao fornecimento e implantação de galeria através de método não destrutivo.

A bancada também apresentou requerimento sugerindo que a PMJP apresentasse comprovantes sobre os recursos usados, mas o requerimento foi desaprovado pela bancada da situação. Agora, os vereadores da oposição cobram que as irregularidades sejam investigadas.


Assessoria

Comentários

Recomendado para você