15/12/2015 às 18h15 • atualizado em 15/12/2015 às 18h20
PAULO PONTES

Ato de Ricardo Coutinho pela manutenção da democracia lota teatro

O Teatro Paulo Pontes, no Espaço Cultural, em João Pessoa, ficou completamente lotado para o ato convocado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) em defesa da presidente Dilma Rousseff (PT), denominado “A Paraíba pela Democracia: Golpe Nunca Mais”.

Além de Ricardo, a manifestação reuniu dezenas de lideranças políticas da Paraíba, a exemplo do presidente estadual do PT, Charliton Machado, e do pré-candidato do PSB à Prefeitura de João Pessoa em 2016, João Azevedo.

Em seu discurso, o governador paraibano foi incisivo na defesa pela democracia. Ele deixou conclamou à população para lutar contra o “golpe” e sair em defesa da manutenção do mandato da presidente Dilma Rousseff (PT).

Fazendo uma clara menção ao presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB/RJ), Ricardo também defendeu punição para “aqueles que estão sendo apontados em escândalos de corrupção ou que atentem contra o estado democrático de direito”.

“Esse é um momento histórico, não tenho dúvidas. Nós estamos abrindo as portas para muitas coisas que vai acontecer daqui por diante em defesa da democracia e da legalidade dentro deste país”, completou o governador paraibano.

Jornalistas, intelectuais, sindicalistas, professores, estudantes e artistas também prestigiaram o ato, que reuniu mais de 1 mil pessoas.

O cantor e compositor paraibano Chico César, ressaltou em seu discurso a postura dos artistas em prol da liberdade, e rechaçou o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Chico César afirmou que os artistas sempre estiveram ao lado da liberdade. “Nós, os artistas sempre estivemos ao lado das lutas pela liberdade. Essas liberdades foram conquistadas com muita luta e muito esforço, e não podemos, por um casuísmo, deixar isso escapar”, garantiu.

“O impeachment da presidente Dilma do jeito que ele é colocado agora, por quem é colocado, por esse grupo que está todo sujo, todo investigado, não está correto. Esses partidos que querem tirar a presidente Dilma estão com medo de ser investigados”, salientou o cantor.