11/11/2015 às 10h49
CAMPINA GRANDE

Veneziano rebate críticas de Romero: “não entende nada de administração pública”

O deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PB) disse na manhã desta quarta-feira, 11, que as acusações do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, sobre ele ter contraído um empréstimo ao PNAFM, em dólar, e não ter pago um só centavo, deixando a dívida para a atual gestão, demonstram “o quanto o gestor não entende nada de administração pública”.

Em longa entrevista à Rádio 98FM, o deputado teceu duras críticas a Romero chegando inclusive a tarjá-lo de incompetente e desumano.

“Eu não me surpreendi quanto as declarações, todos nós sabemos de suas características que nos foram apresentadas, algumas há muito tempo e outras nesse período desastroso de três anos de mandato. Falo de sua incompetência administrativa, de quem a frente da prefeitura perde recursos como o da feira central e não consegue concluir obras. Ele é um prefeito desumano e age de má fé, com maldade nas suas declarações e ainda ocupa o espaço radiofônico demonstrando que além dessa facetas também é um completo desconhecedor de fatos administrativos”, disparou.

Quanto ao empréstimo, Veneziano disse que, “em primeiro lugar não se faz empréstimo ao PNAFM, que é o Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios Brasileiros. Depois, alegou que o valor conveniado do PNAFM com Campina não foi de 1,7 mi de dólares, como o prefeito falou, mas de 11,6 milhões de reais”.

Sobre acusação de que a Prefeitura não tinha investido um só centavo dos recursos. Veneziano afirmou que o investimento foi para um grande projeto de modernização, que incluiu renovação da frota de veículos das secretarias beneficiadas pelo programa (Finanças, Administração e Planejamento); aquisição de equipamentos e de sistemas de informática; reforma do prédio das secretarias de Finanças e Administração; além da implantação de novos sistemas e plataformas tributárias, de ISS e de Nota Fiscal Eletrônica.

O peemedebista lembrou que o coordenador do PNAFM, à época, era o hoje auxiliar da gestão Romero, Hércules Lafite, que pode ser consultado sobre todos esses investimentos, por ter sido coordenador nas ações durante boa parte de seu cronograma de execução.

“Peça para ele consultar Lafite, que no final da execução do programa foi coordenador. Lafite sabe todos os investimentos que foram executados”.

Para finalizar, sobre a “CPI do Ex-tesoureiro”, instalada na Câmara Municipal que investiga a empresa JGR nas denúncias de “caixa dois”, improbidade administrativa, licitações fraudulentas e desvios de recursos da gestão de Veneziano, ele disse que “Romero deveria mudar o disco”.

“Ele está completamente desnorteado, na tentativa de criar dificuldades a minha imagem ele reuniu essa denuncia requentada desde 2013, sendo o promovente de um circo que foi armado na Câmara, que não sabe nem por onde encerrar”, concluiu.

Comentários

Recomendado para você