26/10/2015 às 06h21 • atualizado em 25/10/2015 às 21h24
GESTÃO DE VENÉ

Empresário enviam endereços fictícios e CPI não consegue intimar para depoimento

O vereador João Dantas (PSD), presidente da ‘CPI do Tesoureiro’, instalada na Câmara Municipal de Campina Grande, informou que os representantes da empresa JGR Construções forneceram endereços fictícios e por isso não estariam sendo localizados para recebimento das intimações.

Na última quarta-feira, 21, os empresários Carlos André Felipe e Claud Johnny de Almeida Costa, atuais sócios da empresa, não compareceram ao Plenário do Legislativo Campinense para prestar depoimento. Na ocasião o advogado deles, José Mário Porto Júnior entrou em contato com a assessoria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) alegando que a intimação não havia chegado através dos correios.

De acordo com o vereador, os endereços fornecidos para envio das intimações não pertencem aos representantes da empresa JGR responsável pela realização de obras para a Prefeitura Municipal de Campina Grande (PMCG) na gestão do ex-prefeito Veneziano, sendo assim a CPI será prorrogada em até 90 dias e a nova data para finalização dos trabalhos seria 4 de fevereiro de 2016.

A ‘CPI do Tesoureiro’ investiga denúncias de “caixa dois”, improbidade administrativa, licitações fraudulentas e desvios de recursos oriundos da tesouraria da Prefeitura, durante a gestão do ex-prefeito Veneziano Vital do Rêgo (2005 à 2012). As informações são do Política Mais Cedo.

Comentários