15/05/2015 às 20h09 • atualizado em 15/05/2015 às 20h11
Resistência

Instalada nesta sexta Frente Parlamentar LGBT na Assembleia Legislativa

Com plenário lotado, foi instalada na manhã desta sexta feira (15) a Frente Parlamentar pela Cidadania LGBT. De propositura da deputada estadual Estela Bezerra (PSB), a solenidade de instalação aconteceu no plenário da Assembleia Legislativa da Paraíba e contou com o movimento organizado LGBT no estado, autoridades municipais e estaduais, além do deputado estadual Anísio Maia (PT).

Na fala de abertura, Estela salientou que a instalação dessa frente foi demanda do movimento organizado na Paraíba,  que tem extensão em todo o território estadual. “Esta é a terceira versão da frente LGBT nesta casa, e isso indica uma posição de quem trabalha pela cidadania”.

A deputada lembrou a fase de conservadorismo que o país enfrenta atualmente.  “Essa ação é também de resistência, para que não percamos nenhum milímetro de direitos já conquistados e que possamos avançar no princípio único da humanidade: que somos todos iguais”, disse a deputada.

Estela Bezerra enfatizou a questão do respeito ás diferenças em todas as esferas sociais. “Não existe qualquer diferença que nos desqualifique, aquilo que nos diferencia nos enriquece muito mais, pedimos respeito, dignidade e oportunidades iguais de direitos”. A deputada saudou os deputados que subscreveram o requerimento de instalação da Frente, representados pelo deputado Anísio Maia (PT), além dos deputados Bosco Carneiro (PSL), Gervásio Maia (PMDB), Hervázio Bezerra (PSB), Galego Sousa, Tovar Correia (PSDB), Tião Gomes (PSL), Buba Germano (PSB) e Frei Anastácio (PT) e Edmilson Soares (PEN).

Estela salientou que a criação da Frente Parlamentar LGBT foi aprovada por unanimidade, ao contrário do que ocorreu em Pernambuco que teve a criação da mesma frente rejeitada pela maioria dos deputados.

Durante sua fala, o deputado Anísio falou sobre o atual cenário político no Brasil em relação à manutenção de direitos sociais. “Existe uma tentativa dos conversadores e reacionárias em inverter a pauta, com várias casas legislando ao contrario, retrocedendo à Idade Média”. Anísio parabenizou o movimento LGBT e colocou o mandato à disposição da causa. “É uma grande batalha que vocês vão travar, vocês foram um dos primeiros a iniciar o combate à essa onda conservadora, estaremos juntos com vocês para levantar essa bandeira, a luta de vocês é nossa luta, precisamos lutas pela verdadeira democracia no Brasil”, disse o deputado.

Para Gilberta Soares, Secretária de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, sem a presença de pessoas que vivem essas condições de preconceito na pele, ações de enfretamento não seriam possíveis. “Fazendo uma retrospectiva, nunca caminhamos tanto em relação à esses direitos sociais, mesmo com tantas ameaças de retrocesso, mas eu confio num processo de afirmação tanto na sociedade civil quanto nos espaços de poder”. Gilberta lembrou que o legislativo nacional preocupa pelo conservadorismo, mas a criação dessa Frente na Paraíba pode servir como um precedente em todo o país.

Eleonora Pereira, do Movimento Nacional das Mães pela Igualdade, salientou a importância da aceitação familiar no processo da visibilidade LGBT. “Queremos dizer pra sociedade que o amor pelos nossos filhos é incondicional, não queremos nossos filhos violentados e espancados”. Eleonora defendeu a importância das ações educativas no sentido de garantir o respeito e a dignidade nãos só da população LGBT, mas de toda a sociedade.

Representando o Conselho Estadual  dos Direitos LGBT e Associação das transfeministas da Paraíba,  Ayune Bezerra ressaltou que a Paraíba tem um comprometimento maior com a pauta LGBT em relação à outros estados. “Num recente encontro nacional com a ONU (Organização das Nações Unidas) vi que estamos um pouco mais à frente quando o assunto é a questão LGBT, e que essa Frente Parlamentar seja mais um passo pra evoluir na política social LGBT”, finalizou.

Comentários